Costureira de 67 anos foi diagnosticada com HIV.

Ex-prefeita de Bom Jardim diz que se escondeu em aldeia indígena.

Maranhão. A ex-prefeita de Bom Jardim, Lidiane Leite da Silva (sem partido), que se entregou à Polícia Federal depois de ficar 39 dias foragida, e disse em depoimento que estava escondida em uma aldeia indígena na cidade que governava. 
A polícia acredita que Lidiane estava em uma propriedade rural em outra cidade. A ex-prefeita de Bom Jardim é suspeita de desvios milionários da educação do município. Conhecida por ostentar vida de luxo nas redes sociais, ela se entregou à polícia na última segunda-feira (28) e foi ouvida no mesmo dia. Logo após a prisão, o advogado dela, Sérgio Muniz, disse que ex-prefeita não saiu da cidade.

Para o delegado PF Ronildo Lajes, responsável pelo caso, a declaração é uma "manobra" da defesa. “Isso de ela estar lá na cidade não existe. Isso foi manobra do advogado para querer dizer que ela não estava em fuga”, disse em entrevista ao G1. “Foram feitas diversas diligências lá no município. Ele [Sérgio Muniz] chegou a dizer que ela não estava lá e que ela estava governando lá. Isso não existe. Ela sabia que era procurada. Todo mundo estava atrás, fazendo diligências. Ele, simplesmente, quis negar que ela estivesse foragida”, completa. 

A prisão dela foi decretada na Operação Éden, da PF. Na última sexta-feira (25), o juiz José Magno Linhares havia estipulado o prazo de 72 horas para que Lidiane Leite se entregasse à Polícia Federal.Com informações do G1.

Comentários

Veja também

Zeca fica com Jeiza e Bibi com Caio.