Deu ruim! Rayanne Morais e Douglas Sampaio foram parar na DP.

Gilmar Mendes defende atualização da Lei de Abuso de Autoridade.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Governo quer ampliar serviços digitais à população.


O governo quer oferecer a maioria dos seus serviços à população pela internet, segundo afirmou o secretário de Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Cristiano Heckert. Ele assinou hoje (16), em Brasília, um plano de trabalho para que analistas de tecnologia da informação trabalhem em oito ministérios.

Segundo o secretário, até a metade do ano será concluído o levantamento dos serviços oferecidos pelos órgãos públicos. Mas Heckert disse que ainda não é possível definir um prazo para ampliar a oferta de serviços digitais.

“Desenhado esse universo, a gente consegue mapear o processo de cada serviço desde o início até resolver o problema final do cidadão. E identificar quais das etapas são passíveis de serem informatizadas”, disse.

“Claro que a gente quer informatizar 100% e em muitos casos será possível. Isso é um trabalho de articulação com os órgãos. Hoje, a minoria dos serviços prestados pelo governo são digitais. Mas nosso plano é muito agressivo”, acrescentou.

De acordo com o secretário, a maioria dos órgãos públicos não têm catálogo de serviços prestados à população, embora um decreto de 2009 tenha estabelecido a publicação na Carta de Serviços ao Cidadão.

No plano de trabalho assinado com os órgãos, uma das metas é ter 100% dos serviços prestados à sociedade listado no Portal de Serviços do Governo, até junho de 2016. Outra meta é que 50% desses serviços sejam oferecidos digitalmente até dezembro de 2017.

“O portal passou por reformulação completa no ano passado. Está agora muito mais simples, mais intuitivo. Estamos com mais de um milhão de acessos por mês. Isso mostra que o cidadão está buscando o acesso aos serviços públicos”, disse.

Via Agência Brasil.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Não divulgamos links.Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do M.V News.

Recomendados para você.