Ana Maria Braga descobre câncer e faz cirurgia.

Mosquito Aedes Aegypti também ameaça cães e gatos.

Além dos humanos, os cães e gatos também são alvos do Aedes aegypti. É, gente, a coisa não está boa nem para os peludos. Entretanto, nos animais o mosquito não transmite dengue, zika e chikungunya, mas uma doença chamada dirofilariose, conhecida como o verme do coração. E, atenção, ela pode matar o bichinho. A informação é do jornal 'O DIA'.

De acordo com a professora da UFF e especialista na doença, Norma Labarthe, a transmissão acontece pela picada, que é quando o mosquito coloca o verme na corrente sanguínea dos pets. Ele fica alojado nas artérias pulmonares e do lado direito do coração dos bichos atrapalhando a circulação. O parasita tem mais de 20 centímetros. Norma explica que os sintomas são discretos e demoram a aparecer, pois o animal vai se adaptando ao verme. Até que chega um dia que o pet apresenta cansaço e tosse e a doença evolui. E um alerta: a dirofilariose mata os gatos mais rápido que os cães.

A especialista aconselha a prevenção com exames de rotina. Segundo ela, o tratamento da cura, além de ser mais caro, coloca em risco a vida do animal. E são muitas as maneiras de evitar que o Aedes aegypti, pulgas, carrapatos e outros mosquitos piquem seu peludo. Há remédios no mercado e também coleiras como a Seresto desenvolvida pela Bayer.

Bióloga e entomologista da Bayer, Maria Fernanda Zarzuela, alerta também para os cuidados com o ambiente. Instalar telas nas janelas, controlar plantas nas áreas externas e internas, usar velas ou plantas aromáticas e fazer controle químico do ambiente ajudam a manter nossos peludos protegidos.

Fonte: O DIA

Comentários

Veja também

Preso processa policiais após ter uma ereção de 4 dias.