Flamengo deve ou não renovar com Emerson Sheik?

Thiago Lacerda ganha indenização de R$329.000,00.

terça-feira, 22 de março de 2016

Acusado de integrar milícia se exibe no Facebook cheio de dinheiro.


Rio - No último fim de semana, agentes da Delegacia de Homicídios da Polícia Civil prenderam João Batista de Borba Cardoso, de 34 anos. Ele é apontado como integrante de uma milícia de Bela Vista, em Campo Grande, na Zona Oeste. A polícia está investigando, desde dezembro, o paradeiro de Gláucio Ramos Menezes, de 22 anos, que junto com Bruno Caetano Campos, de 23 anos, é acusado de assassinar o militar Bruno Luiz Crispim Santos, de 23 anos, após discussão em uma festa, de acordo com informações do jornal carioca O DIA.
Segundo a publicação, Gláucio é conhecido por ostentar no Facebook fotos com dinheiro, carros, motos e bebidas alcoólicas. As denúncias podem ser feitas pela própria Delegacia de Homicídios ou pelo número do Disque-denúncia (2253-1177).

No dia 13 de março, agentes descobriram o esconderijo de Bruno Caetano, que seria o autor dos disparos. O criminoso teria usado a arma de Gláucio para matar o militar e depois seguido para Conceição de Jacareí, na Costa Verde, onde se refugiou na casa de parentes.

Cobrança a comerciante

Segundo o titular da Delegacia de Homicídios, Fábio Cardoso, no sábado, enquanto a polícia fazia buscas em Campo Grande por Gláucio, agentes acabaram prendendo em flagrante João Batista com um carro roubado e clonado e mais de R$ 3 mil.

“As informações apuradas pela DH indicam que João Batista e Gláucio Ramos integram o mesmo grupo de milicianos já que ambos estavam juntos na cobrança de comerciantes no momento que agentes efetuaram a prisão”, disse.

Fonte: O DIA

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Não divulgamos links.Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do M.V News.