Lula tem plano secreto para evitar prisão, diz revista.

Lula tem plano secreto para evitar prisão: pedir asilo à Itália. A informação foi divulgada pela Revista Veja na última quinta-feira, dia 24 de março.

De acordo com a reportagem, existe um plano secreto destinado a tirar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva do Brasil, caso sua prisão seja decretada. "O plano prevê que Lula pediria asilo a uma embaixada, de preferência a da Itália, depois de negociar uma espécie de salvo-conduto no Congresso, que lhe daria permissão para deslocar-se da embaixada até o aeroporto sem ser detido - e, do aeroporto, voaria para o país do asilo".

Ainda de acordo com a publicação, "diante dos questionamentos de Lula, um pequeno grupo de advogados e políticos reuniu-se num endereço nobre de Brasília e detalhou de modo mais concreto o plano de emergência. Mesmo sem contar ainda com a resposta do embaixador Raffaele Trombetta, o grupo decidiu que a melhor opção era realmente a Itália. O fato de a ex-primeira-dama Marisa Letícia ter cidadania italiana e de o direito ser extensivo aos filhos igualmente investigados na Lava-Jato facilitava as coisas. Na reunião, os conselheiros debateram o roteiro jurídico para que o ex-presidente pudesse ser autorizado a deslocar-se da embaixada em que viesse a se asilar até o avião em que partiria para o exterior. Ficou acertado que seria necessária "uma saída negociada" com as principais forças políticas de oposição, já que o salvo-conduto teria de ser previamente aprovado pelo Congresso. A missão política foi delegada ao advogado Sigmaringa Seixas, ex-deputado do PT, e ao ex-ministro Nelson Jobim, que tem bom trânsito junto a diversos partidos. No PMDB, o primeiro a ser procurado foi o presidente do Senado, Renan Calheiros. Em seguida, acionou-se o ex-ministro Moreira Franco, por sua proximidade com o vice-presidente Michel Temer". Leia a reportagem na íntegra aqui.

Justiça de Portugal pede prisão de Lula no Brasil 

Embaixada nega

A embaixada italiana no Brasil desmentiu a capa da Revista Veja desta semana. Em um comunicado oficial enviado à Ansa, a embaixada desmentiu os fatos relatados pela revista sobre supostas conversas entre aliados de Lula e Trombetta em Brasília. "As informações referentes ao evento ocorrido na embaixada e às supostas conversas do embaixador Raffaele Trombetta são inverídicas", anunciou a sede diplomática italiana no Brasil. O comunicado oficial também esclareceu que, quando foi procurado pela "Veja" para se pronunciar sobre o assunto por telefone, o chefe de gabinete de Trombetta, Alberto La Bella, disse que "não queria comentar fatos que, no que tange à embaixada, eram e são totalmente inexistentes".

Fonte: VEJA.

Comentários

Motorista usa manequim para enganar polícia e acaba no tribunal.