Arena Condá recebe os heróis da Chapecoense. #ForçaChape

Gilmar Mendes defende atualização da Lei de Abuso de Autoridade.

domingo, 3 de abril de 2016

Estado Islâmico executa agentes após morte de líder do grupo.


A organização não governamental (ONG) Observatório Sírio para os Direitos Humanos informou neste domingo (03/04) que o Estado Islâmico executou 15 dos seus “agentes de segurança” após a morte de um importante líder do grupo na última quarta-feira, durante um bombardeio na Síria.
Segundo o comunicado, os 15 agentes faziam parte dos 35 do Estado Islâmico que foram presos após o bombardeio, supostamente lançado pela coligação internacional liderada pelos Estados Unidos da América, e que matou o comandante militar do grupo jihadista Abu al Hiya al Tunisi.

À agência de notícias 'EFE', Rami Abdulrahman, diretor do Observatório Sírio para os Direitos Humanos, disse que os 15 homens foram mortos neste sábado (02/04), após o Estado Islâmico acusa-los de "espionagem a favor do estrangeiro”.

No dia 30 de março, um avião não tripulado bombardeou um veículo em que seguia Al Tunisi, nos arredores da cidade de Al Raga, principal local de resistência do autoproclamado Estado Islâmico em território sírio.

Al Tunisi tinha sido enviado do Iraque para a Síria pelo líder do EI, Abu Bakr al-Baghdadi, para supervisionar as operações militares da organização na província de Alepo, no noroeste do país. Ele foi morto durante o ataque, juntamente com outro homem, que não se sabe se era o condutor do veículo ou outro líder jihadista. Nas últimas semanas, o EI perdeu outros líderes, mortos em bombardeios. Com informações da 'Agência Lusa'.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Não divulgamos links.Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do M.V News.

Recomendados para você.