Ministro do STF manda soltar o goleiro Bruno Fernandes.

PF indicia pastor Silas Malafaia por lavagem de dinheiro.

Facebook do Momento Verdadeiro

domingo, 22 de maio de 2016

EUA não trata impeachment de Dilma como golpe.


Desde que a presidente Dilma Rousseff foi afastada do cargo provisoriamente por decisão do Senado Federal, até a decisão final do processo de impeachment, que pode durar até 180 dias, boatos sobre uma possível intervenção dos Estados Unidos circulam na internet.
Desde que a presidente Dilma Rousseff foi afastada do cargo provisoriamente por decisão do Senado Federal, até a decisão final do processo de impeachment, que pode durar até 180 dias, boatos sobre uma possível intervenção dos Estados Unidos circulam na internet. Existe a possibilidade de Dilma renunciar? Já falamos sobre este assunto em outro post, leia neste link

Porém, há quem diga que os norte-americanos seriam favoráveis a saída de Dilma por causa de sua aproximação com países rivais aos EUA, entre eles, Rússia e China. Além disso, esses boatos que circulam pelo grupos no 'WhatsApp' e redes sociais, dizem que a Operação Lava Jato estaria servindo de ponte para procuradores brasileiros e americanos trocarem informações sobre a política nacional.

Entretanto, oficialmente, os Estados Unidos vêm tratando o impeachment com cautela, conforme informou uma reportagem da coluna "Último Segundo", do portal iG. Na última quarta-feira, na manifestação mais contundente de um representante do país sobre o tema, o embaixador americano na Organização dos Estados Americanos (OEA) rejeitou a tese de que o afastamento de Dilma tenha sido um "golpe suave ou de outro tipo". De acordo com Michael Fitzpatrick, "o que ocorreu no Brasil seguiu o processo legal constitucional e respeitando completamente a democracia".

Washington Luiz, repórter do Momento Verdadeiro.

Um comentário :

  1. Não há como negar, de certa forma, ocorre um Golpe.
    Numerosas e diversas parcelas da sociedade, de tanto observarem o caós social e a falta de direção e capacidade de um Governo, passam a crer que a única solução é a mudança.
    Quaisquer motivos bastariam, os fins justificam os meios.
    Em meio a desordem e tontura social, qualquer letra " i " sem seu devido pingo, motivaria e legalizaria o impeachment.
    Portanto, pelo fato de uma maioria estar com uma total falta de paciência, passam a não observarem o equilíbrio entre causas e efeitos legais; vigora então a decisão da saída pelo peso Político.
    Sendo assim, o cerne da questão é: Quando uma sociedade perde a esperança em seu líder, votado diretamente, e não vê soluções, é justo achar brechas para mudanças ou é necessário morrerem abraçados, submersos na pobreza e tristeza?
    De certa forma, qualquer fragmentação da normalidade é um golpe, assim o é.
    Um simples divórcio, causado por uma simples desculpa, esconde atras desta desculpa, alguma razão maior. Esta desculpa é um Golpe, entretanto, será que seriam felizes casados?
    O brasileiro já não dorme na mesma cama com a Sra. Dilma há muitos anos. Anular o divórcio e força-los a ficarem casados é a solução? Acho que nem a Sra. Dilma quer!
    Minha posição é que tenhamos Eleições Gerais e concomitantemente um plebiscito que decida pelo menos duas questões importantes quaisquer, como a redução da maioridade penal e redução da quantidade de partidos políticos. Sérgio Alberto Bastos da Paixão

    ResponderExcluir

Não divulgamos links.Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do M.V News.

Recomendados para você.