PMERJ diz que comunicado sobre greve é boato.

A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) emitiu uma nota oficial desmentindo os boatos que começaram a circular pelas redes sociais e também pelos aplicativos de mensagens, como WhatsApp, sobre uma paralisação geral. “São falsos esses documentos que estão circulando nas redes sociais”, afirmou a assessoria da PMERJ.

"A nossa falta causaria males incalculáveis e irreparáveis. Temos a certeza que passamos por um momento muito delicado, mas é preciso avaliar as consequências dos nossos atos. Protestos são legítimos, mas precisamos buscar a melhor forma de reivindicar nossos direitos. Paralisar um serviço essencial afeta toda a população, incluindo nossas famílias.", diz a nota divulgada no site oficial da PMERJ.

Há vários textos, inclusive, um documento falso com assinatura do comandante da PM, alertando que a Polícia Militar do Rio vai entrar em greve

É verdade que há uma mobilização das famílias de policiais militares, porém, de acordo com o porta-voz da PMERJ, o major Ivan Blaz: "O setor de inteligência está monitorando essa mobilização, mas não temos como medir a adesão. Estamos atentos e continuaremos trabalhando".

Fato é que existe a possibilidade de ocorrer um movimento ainda nesta semana. Através de grupos no WhatsApp, familiares de policiais militares do Rio garantem que estão organizando um protesto como forma de cobrar o pagamento do 13º salário, do RAS e de metas alcançadas em 2015 devidos aos servidores.

Tropas do Exército já estão se mobilizando para o caso de a Polícia Militar do Rio entrar em greve. De acordo com informações do jornal "Estadão", homens da Brigada Paraquedista já estão se apresentando no quartel, para ficarem de prontidão, em caso de necessidade.

Washington Luiz, repórter do Momento Verdadeiro.
Com informações do Estadão e jornal O Globo

Comentários

Veja também

Preso processa policiais após ter uma ereção de 4 dias.