Supremo arquiva investigação contra Marco Feliciano.

Atendendo a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), arquivou hoje (07/04) uma investigação que apurava se o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) havia cometido irregularidades ao contratar pastores para o gabinete dele na Câmara.

A apuração sobre as contratações foi aberta em abril de 2013, depois que os deputados Jean Wyllys (PSOL-RJ), Domingos Dutra (PT-MA) e Érica Kokay (PT-DF) e  moverem uma representação contra Feliciano. Na época, o vice-procurador-geral da República, José Bonifácio de Andrada, levou em conta depoimentos segundo os quais os pastores contratados por Feliciano desempenhavam funções ligadas à atividade parlamentar durante o dia e atuavam na igreja fora do horário do expediente, como informou o portal G1.

Segundo a publicação, no pedido enviado ao Supremo, o vice-procurador-geral da República afirmou que, durante os quatro anos de investigação, não foram encontradas evidências que justificassem a apresentação de uma denúncia contra Feliciano.Segundo ele, a contratação de pastores como secretários parlamentares não se mostrou irregular porque diversos depoimentos confirmaram que eles desempenhavam funções ligadas à atividade parlamentar durante o dia e atuavam na igreja fora do horário do expediente.

Washington Luiz, repórter do Momento Verdadeiro.
Com informações do G1.

Comentários

Motorista usa manequim para enganar polícia e acaba no tribunal.