Acusada de mandar matar Ana Paula, pediu ajuda de colega de trabalho.

Assunto: Caso Ana Paula.
Universitária foi morta a tiros em Campos dos Goytacazes, interior do Rio de Janeiro.

Luana tentou criar um álibi pouco tempo depois da morte de Ana Paula 

Olá pessoal. Luana Sales, cunhada da universitária Ana Paula Ramos, que foi executada a tiros na tarde do dia 19 de agosto, na cidade de Campos dos Goytacazes, tentou criar um álibi (para provar sua inocência), segundo informações do delegado Luis Maurício Armond, titular da 146ª Delegacia Legal em Guarus e responsável pela investigação do caso.  

— Amiga, você tem que me ajudar. Sai com minha cunhada hoje à tarde para ver o vestido que eu vou ser madrinha do casamento dela, depois fomos tomar sorvete, coisa e tal e depois eu tive que entregar um dinheiro a minha prima, só que (...) não sabia desse dinheiro, não sabe, na verdade, porque é um consórcio meu que tô pagando pra ela. Aí a gente parou ali perto da pracinha do Calabouço, não tem o HGG? Depois tem o Brizolão, entrando ali tem uma, fazendo o contorno é na terceira rua, na reta do Brizolão, é na terceira rua, lá na frente tem uma pracinha. Ia passar ali para pegar o dinheiro, só que a gente acabou sendo surpreendida por dois caras que levaram minha carteira, levaram até o dinheiro, os documentos, algumas coisas de cartões meus e foram puxar o celular da minha cunhada (...) ela puxou novamente e eles acabaram atirando nela. 

Luana Sales enviou o áudio (feito através de um aplicativo de mensagens) para uma amiga menos de duas horas após mandar matar Ana Paula. O áudio, que foi entregue a polícia, sugere que Luana pediu a amiga para ser álibi. "Luana ligou para uma amiga, criando o álibi dela, confirmando que ela queria que a amiga mentisse sobre o valor do dinheiro que ali estava e inventando uma versão que estava na praça", explicou o delegado.
Em outro trecho da conversa, Luana afirma que está desesperada e diz detalhadamente a amiga sobre como agir em relação ao dinheiro (que teria sido usado para contratar o assassino de aluguel) — Fiquei tão desesperada que ele não sabia desse dinheiro, que eu não tinha contado pra ele, aí eu falei que eu dei aquela diferença de 5 mil pra ele e que 500 reais a empresa não devolveu. Aí eu tinha que fazer o acerto dos 500 reais e o inspetor vai estar na agência segunda. Aí eu fui te entregar, os 500 reais pra você, porque você vai entrar 9 e você já vai dar baixa antes do inspetor chegar, porque eu fico com medo dele chegar e fazer a verificação na contabilidade e ver e dar problema prá mim. Aí você falou que você “tava” saindo do Boulevard e já ia passar aí pelo Calabouço, porque você mora ali próximo da delegacia. Aí eu falei que ia te esperar ali perto da minha casa, na pracinha. Aí você falou que já estava chegando, só que acabou acontecendo isso, quando você me ligou e você chegou lá, é, é, não me viu, então não conseguiu falar comigo e, e é isso. Entendeu?
Luana reforçou o apelo: — Você precisa me ajudar, é só pra ele poder, só porque eu acabei falando isso e agora não tenho como voltar atrás, então, recapitulando. A diferença é de 5 e 500, 5 mil consegui recuperar, 500 não. O inspetor ta na agência segunda, você vai entrar 9, por isso eu marquei de encontrar com vocêMas, se eu mandar mensagem, agora, você nem me responde mais não e se eu ligar agora, só me atende se eu insistir muito... Tô desesperada

A gravação foi apresentada pelo delegado Luiz Maurício Armond durante coletiva de imprensa. Na ocasião, o delegado disse ainda que todos os presos participaram de uma acareação e que a polícia avançou no que tange ao motivo pelo qual o crime foi praticado. "A passionalidade, como dito, é o fundo, mas ainda é preciso terminar de fazer as verificações com relação a essa motivação para ver se procede ou não". 

A universitária Ana Paula foi atingida por três tiros, dois no tórax e um na cabela. Inicialmente o caso era tratado como latrocínio, porém durante as investigações, o delegado Luis Maurício Armond começou a trabalhar com a hipótese de que o crime foi encomendado pela cunhada da vítima, Luana.

Corpo de Ana Paula Ramos é enterrado em Campos, RJ.


Os áudios foram divulgados em três partes (áudio 1 - áudio 2 e áudio 3). A qualidade não é boa.

Suspeita de mandar matar Ana Paula passa por acareação.

Comentários

Veja também

Luan Santana quer trocar sertanejo pelo rock.