Aécio Neves diz que sua relação com dono da JBS era estritamente pessoal.

Olá pessoal. O ministro Edson Fachin proibiu Aécio Neves de exercer as funções de senador. A decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) ocorre um dia depois da divulgação da informação de que o senador teria pedido R$ 2 milhões a donos do frigorífico JBS.

Edson Fachin estabeleceu duas medidas cautelares ao presidente do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). São elas: a proibição de contatar qualquer outro investigado ou réu no conjunto de fatos revelados na delação da JBS e a proibição de se ausentar do país, devendo entregar seu passaporte. 

A situação de Aécio Neves poderia ter ficado mais complicada neste momento, uma vez que, a Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu a prisão do tucano, no entanto, o ministro Edson Fachin, responsável pela Lava Jato no Supremo, negou o pedido. 

Outro Lado

Por meio de nota divulgada por sua assessoria de imprensa, o senador Aécio Neves disse está absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos. 

Ainda de acordo com a nota, a relação de Aécio Neves com o empresário Joesley Batista, era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público. 

Aécio Neves aguarda ter acesso ao conjunto das informações para prestar todos os esclarecimentos necessários, diz a nota.

Veja também:

Gelsienny Terra
Repórter do Momento Verdadeiro.

Comentários

Veja também

Polícia Federal investiga fraudes em 14 concursos públicos