Jornalista da InterTV é demitido após matéria que mostra Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes comprando livros que são oferecidos pelo MEC.


Jornalista de filiada da Rede Globo é demitido após veiculação de matéria sobre a Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes. Há consistentes evidências de que a demissão foi motivada pela veiculação de matéria que mostrou o fato de a prefeitura adquirir de uma empresa privada, por meio de licitação, materiais didáticos que são oferecidos pelo Ministério da Educação (MEC).

Através de nota a Associação de Imprensa Campista repudiou com veemência a demissão de Luiz Gonzaga Neto, que até a última terça-feira (16/04/13) respondia pela edição e apresentação da edição noturna jornal local da Inter TV e trabalhava há quatro anos na empresa.

De acordo com a publicação, antes mesmo de a matéria ter ido para o ar, na noite da segunda-feira (15/04/13), houve reunião entre representantes da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Campos e a direção da Inter TV, onde a pauta foi discutida, sem a presença do jornalista.

No dia seguinte à exibição, na terça-feira (16/04/13), outra reunião entre a direção da TV e a Secom de Campos foi realizada, também sem a presença do jornalista. Na edição da noite da própria terça-feira, uma longa nota de resposta feita pela Secom foi lida pelo apresentador, que, em seguida, fez o comentário editorial de que, em resumo, o material escolar era fornecido pelo MEC, mas a Prefeitura de Campos havia escolhido fornecer outro de melhor qualidade aos alunos da rede pública.

Na quarta-feira (17/04/13), o jornalista foi demitido, sem nenhuma justificativa formal por parte da empresa.

A Associação de Imprensa Campista vai enviar ofícios para a direção da Inter TV e para a Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Campos dos Goytacazes para cobrar explicações sobre a demissão.

Na tarde de hoje, os VTs com a matéria e a nota de resposta da Prefeitura de Campos não estavam mais disponíveis no Portal G1.

A AIC entende que veículos de comunicação que prezam pela prática de um jornalismo de qualidade não podem se dobrar diante de pressões de fontes que são alvos de denúncias, muito especialmente quando estas fontes são do poder público. O papel de cobrar, e até mesmo a liberdade de opinar, são garantias constitucionais inegociáveis.

A entidade manifesta ainda toda a sua solidariedade ao jornalista Luiz de Gonzaga Neto e se coloca à disposição da categoria e da sociedade para prosseguir no debate e no acompanhamento deste caso.

Comentários

  1. quando envolve política só os pobres saem perdendo...

    ResponderExcluir
  2. Revoltante , cadê a classe de jornalistas? Defendam seu colega, ou fazem jornalismo de imprensa marrom?

    ResponderExcluir
  3. Não sou jornalista, mas fiquei revoltada com esssa notícia.
    Vamos fazer barulho gente, antes que a coisa piore.

    ResponderExcluir
  4. Gente, vamos lutar contra a repressão!
    A liberdade de imprensa é um bem valiosíssimo.
    Que país é esse? Que cidade é essa?
    Pior! Que empresa de comunicação é essa?
    Isto daria uma ótima reportagem para o Fantástico ou domingo Espetacular!

    ResponderExcluir
  5. Molequinho ainda manda em Campos?

    ResponderExcluir
  6. ISSO É GLOBO ISSO É BRASIL, O BRASIL QUE A GLOBO QUER!!!! SACANAGEM ELES NUNCA PUBLICAM O QUE DE FATO É DO INTERESSE DO POVO E SIM O QUE É DO INTERESSE DELES, SE ISSO OCORRE DAR EM DEMISSÃO.
    MACABROS!!!!

    ResponderExcluir
  7. vai pra record esse é o monopólio globo voltamos a ditadura

    ResponderExcluir
  8. Safadeza... prefeitura de campos, PT (governo Dilma) e rede Globo, são tudo farinha do mesmo saco.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não divulgamos links.Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do M.V News.

Postagens mais visitadas