DNA de astronauta é alterado após viagem ao espaço. Será?

Estudo compara genes do astronauta Scott Kelly com de seu irmão gêmeo e comprova alteração em seu DNA após viagem ao espaço.

Para quem tinha dúvidas se viajar ao espaço poderia ou não alterar o DNA, dessa vez essa hipótese foi comprovada. O astronauta Scott Kelly retornou de sua viagem espacial após passar 340 dias no espaço. 

Ao retornar, passou por estudo que comparou os seus genes com os do irmão gêmeo Mark onde foi possível observar quais efeitos a sua permanência em órbita causou em seu corpo. Entenda!

Viagem ao espaço altera DNA


Scott Kelly retornou de uma viagem inédita ao espaço após passar 340 dias na Estação Espacial Internacional.  A NASA realizou um estudo genético no astronauta, contando com a participação de 12 universidades pertencente a Alemanha e aos Estados Unidos, comparando o seu DNA com o de seu irmão gêmeo.  

O objetivo é de entender o que mudou em seu corpo após ficar quase um ano no espaço. Diferente de outros astronautas, Kelly tem um irmão gêmeo idêntico, o que contribuiu muito com o estudo.

A imprensa divulgou que os resultados apontaram uma alteração de quase 7% nos genes de Scott, porém essa informação causou equívoco na imprensa internacional. Para se explicar, a NASA informou que não houve alteração no DNA do astronauta, mas sim observou-se alterações na expressão gênica.

Entenda que o DNA é um código que possui diversas de nossas características e ele se expressa de uma forma e foi exatamente isso que mudou e não o código em si. 

Conforme publicado pelo jornal The Washington Post, se a alteração no DNA ocorresse mesmo, em 7%, Scott Kelly seria considerado menos humano do que um macaco rhesus.


Sobre o estudo realizado no DNA do astronauta


Após retornar da viagem ao espaço, o astronauta passou por um estudo que incluiu 10 pesquisadores. O objetivo desse estudo é o de oferecer maior segurança para os astronautas.

Para realizá-lo, os pesquisadores utilizaram tecnologias personalizadas, incluindo o sequenciamento genético e análises moleculares do cérebro e do corpo. 

Como Scott e Mark são irmãos gêmeos idênticos, foi possível obter um resultado mais exato. Em relação a essa alteração, a NASA alega que são tão mínimas que podem ser comparadas ao que ocorrem com mergulhadores, escaladores e outros seres humanos que estão em situações de estresse. 

Ou seja, ocorre quando há privação de oxigênio, bem como o deslocamento extremo de nutrientes que podem afetar a expressão gênica no espaço. 

E você, está pronto para encarar uma viagem ao espaço agora que sabe que o seu DNA não será alterado? 

De acordo com informações, a Rússia quer voltar a disponibilizar viagens espaciais. Será dessa vez que o turismo espacial vai decolar e ser acessível para mais pessoas?

O diretor da empresa russa Energia, que desenvolve veículos espaciais, informou que existem pessoas que estão dispostas a pagar cerca de 100 milhões de dólares por um passeio no espaço.

Se você está entre essas pessoas, não se esqueça de garantir uma viagem segura. Quem sabe até lá as seguradoras vão disponibilizar um seguro viagem para turismo no espaço. 

Mesmo que isso esteja longe de acontecer, você pode visitar o Kennedy Space Center, Cabo Canaveral, Orlando. Ele é um complexo da NASA, um lugar perfeito para quem deseja explorar o espaço.

Assim você já pode se familiarizar com o espaço até que o turismo espacial esteja mais acessível.  Só não se esqueça de contratar uma das melhores seguradoras de seguro de viagem. Afinal, é importante que você viaje tranquilo e seguro, não acha?

Por: Andréia Silveira, colaboradora do site SeguroViagem.org

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Buldogue francês branco e preto é furtado e pintado para não ser reconhecido.

Vendedor é preso após filmar cliente no provador de uma loja de roupas.

Alcione posta vídeo cantando para Arlindo Cruz e emociona + NOTÍCIAS.