Pular para o conteúdo principal

Doação de feijão para Cuba seria motivo da alta no preço?

Manter o feijão na mesa todos os dias está cada vez mais difícil. O preço do feijão aumentou mais de 43% nos últimos meses, para se ter uma ideia, 1 kg de feijão carioca chegou a custar mais de R$11,00. 

Pois é, o aumento do feijão pegou muita gente de surpresa e gerou muitas reclamações e também boatos. Tem gente dizendo que o feijão está caro porque a presidente afastada Dilma Rousseff doou nossos estoques para Cuba. "Dilma doou nossos estoques regulares de arroz e feijão à Cuba no final do ano e a mídia escondeu isso do povo", diz um trecho do texto compartilhando na web. 

Em outubro do ano passado, uma matéria publicada pelo site 'Pensa Brasil', informou que o governo Dilma tinha doado 625 toneladas de feijão  do estoque público brasileiro para Cuba. A notícia é verdadeira. Foi divulgada oficialmente no site da Companhia Nacional de Abastecimento. Na época, a Conab disse que as 625,4 toneladas de feijão foram doadas pelo Programa de Doação Humanitária de Alimentos do Brasil à República de Cuba. 

Mas está doação não afetou o estoque de feijão no país, que na época tinha um estoque de mais de 300 mil toneladas de feijão. Como pode ser conferido neste documento do Acompanhamento da Safra Brasileira. Safra 2015/16.

Podemos concluir que não foi a doação de alimentos a causa da escassez de feijão em muitos estados brasileiros. Então! Por que o feijão está caro?  Devido a fatores climáticos. Isso mesmo caro leitor, segundo informações do jornal Estado de Minas, problemas decorrentes do fenômeno El Niño afetaram a safra do Rio Grande do Sul, maior produtor do país. Por isso que o Ibrafe (Instituto Brasileiro do Feijão e Pulses), informa que em algumas regiões o quilo do feijão chega a R$ 20 no varejo.


Conclusão: O preço do feijão não tem nada haver com a doação do alimento para Cuba. Isso é boato gente.

Washington Luiz, repórter do Momento Verdadeiro.

Comentários

  1. Certamente 625 toneladas fez toda a diferença nas mesas dos brasileiros, agora querer ACREDITAR em notícias vinculada e culpar APENAS o El Niño é mais fácil.... à 500 anos atrás roubaram o País, daqui a 500 anos, continuaram a roubar o País... nunca muda, acredite em quem mais manipula a história e a mídia...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 625 toneladas pode fazer pequena diferença. Mas dizer TODA DIFERENÇA é tolice, para não dizer outra coisa terminada em 'ice'. Quem come feijão todo dia, consome 1 kg por mês. 625 ton daria para 625.000 pessoas durante um mês. E os outros 199.375.000 de brasileiros?

      Excluir
  2. Claro que faz falta. Só não vê quem não quer...

    ResponderExcluir
  3. Para que doar para Cuba aquele país maravilhoso , igualitário que é o modelo de gestão a seguir ou seja o sonho do PT para o Brasil

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não divulgamos links.Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do M.V News.

Postagens mais visitadas deste blog

Vídeo Som de trombetas no céu de Israel é real?

O mundo tem sofrido muitas mudanças. Por conta destas mudanças, muitos acreditam que a segunda vinda de Jesus Cristo está bem próxima. Será que já estamos vivendo o Apocalipse bíblico? Bom! De tudo que já ouvi até hoje, apenas uma coisa é certa. A morte chegará em algum momento para cada um de nós, e não poderemos fazer nada. Ela poderia ser o fim, mas para quem crê, a morte é um novo começo ao lado de Deus.

Fim do mistério! Vídeo Som de trombetas vindo do céu em Jerusalém.

Recentemente fiz um post, que você pode ler na íntegra neste (link) comentando uma notícia falsa de que a Nasa tinha confirmado uma catástrofe no Brasil. Agora vou falar sobre um vídeo, intitulado: "Som de trombetas no céu de Israel", que foi publicado no Youtube no inicio do mês de outubro e já tem mais de 150 mil visualizações.

Lei sobre ‘chip da besta’ desrespeita à Constituição, diz PGL.

Cientista choca ateus ao confirmar que a oração tem o poder de curar doenças?

Papa Francisco vai visitar Congregação…

Você está no Cadastro Único do Governo Federal.

Os últimos dias têm sido difíceis para milhões de brasileiros devido a pandemia de coronavírus, que assola o mundo. Vivemos momentos de incerteza e diferente daqueles que tem condições de receber um tratamento adequado em caso de contaminação e até uma possível complicação do quadro desencadeado pela Covid-19, que pode ser fatal, sabemos que o sistema de saúde pública não terá condições de suportar uma demanda alta. E é por isso que somos obrigados a ficar em casa de quarentena.  Mas, além da Covid-19, temos outro problema. Como se manter durante a quarentena? Então! Eis que uma pequena luz se acende. Só que, ao que parece, esse auxílio ainda não chegou a milhões de famílias. Pais de família e donas de casa, trabalhadores informais e desempregados que todos os dias acessam o sistema e se deparam com uma mensagem que avisando: Você está no Cadastro Único do Governo Federal.As condições para recebimento do Auxílio Emergencial serão avaliados com os seus dados do Cadastro Único. Lembram…

Casal da Cedae chega de Kombi pede amostra de água e assalta residência [é boato].

Assunto: Boatos que circulam pela internet Homem e mulher disfarçados com uniforme da Cedae realizam assaltos à residências. Casal usando uniforme da Cedae assaltam residências. Olá pessoal. Está circulando pelo Facebook e também pelo WhatsApp um texto alertando que um casal usando o uniforme da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (CEDAE) estaria realizando assaltos à residências. 
Segundo o texto, eles chegam de Kombi e dizem que vão fazer coleta de água para análise."Se chegar uma kombi na porta da sua casa com um homem e uma mulher com uma pasta dizendo que é da cedae que veio tirar amostra da água, não atenda que é assalto são bandidos espalhe pra todo mundo da vizinhança". É fato que, recentemente, foi constatado pelas autoridades que ocorreu um aumento deste crime. Por exemplo, em Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, o roubo à residência aumentou 97,36% do primeiro semestre do ano passado para este. De janeiro a julho de 2017, foram registrados 75 casos. …