Paciente é estuprada dentro da UPA.

Paciente é estuprada dentro da UPA
São Paulo - Paciente afirma que foi estuprada dentro de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na cidade de Santos. O caso ocorreu na noite da última quinta-feira na unidade da Vila Belmiro.

Segundo informações da polícia, a paciente procurou atendimento médico porque estava sentindo fortes dores no pescoço. O médico que atendeu a paciente prescreveu medicação e recomendou o uso de um colar cervical. De posse da receita médica, a paciente se dirigiu a farmácia e, naquele momento, não tinha nenhum funcionário para atendê-la. Depois, apareceu um funcionário e disse que para acompanhá-lo. Ele disse que iria colocar o colar cervical nela, mas fechou a porta da sala e a estuprou. A vítima contou ainda que foi liberada após ter prometido ao estuprador que não iria chamar a polícia. 

Logo depois de deixar aquela unidade de pronto atendimento, a paciente, uma mulher de 43 anos que não teve sua identidade revelada, foi à delegacia e denunciou o funcionário. Em seu depoimento, a vítima contou detalhes sobre o ataque e disse aos policiais viu o nome do funcionário no crachá. 

-- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE --


O funcionário está foragido. A Polícia Civil já fez a identificação dele. O homem é casado e pai de duas meninas. O caso será investigado pela Delegacia da Mulher de Santos. 


A administradora da  Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila Belmiro disse que uma sindicância foi aberta para apurar a denúncia. Através de nota, a Secretaria de Saúde de Santos informou que "acionou a Fundação do ABC, entidade responsável pela gestão da UPA Central, para a apuração rigorosa dos fatos denunciados". Já a Fundação do ABC, em nota, disse que abrirá sindicância para apurar denúncias relacionadas a um colaborador que atua na UPA Central de Santos. Com informações do portal G1.

Comentários

Você pode gostar