Os botos estão sendo dizimados para virar isca do piracatinga

Reprodução -
A pesca acontece há 10 anos, todo mundo sabe, mas a fiscalização não consegue flagrar nenhum infrator matando os botos na Amazônia (apesar dos relatos dos ribeirinhos e até dos rastros deixados como prova da barbárie). A carne do bicho normalmente é usada como isca para facilitar a captura do piracatinga.

- Fiscalizar é muito difícil pela imensidão dos rios e igarapés, justifica Andrey Silva, analista do Ibama em Tefé, no Amazonas, cidade onde o órgão ambiental já encontrou carcaças de botos mortos e gaiolas.

Como o piracatinga é necrófago (se alimenta de detritos e restos de carnes em putrefação), o uso da carne dos botos facilita a sua captura. No início do mês passado, moradores do Peru relataram ter encontrado 200 botos mortos. Também existe a prática da venda de olhos do boto-cor-de-rosa como amuletos em mercados do Norte do Brasil.

Além disso, segundo Miriam Marmontel, pesquisadora de mamíferos aquáticos no Instituto Mamirauá, em Tefé, o piracatinga é apreciado na culinária colombiana e, no ano 2000, houve uma pesca em excesso da espécie no país. “Isso fez com que eles buscassem outros locais para suprir a demanda”, diz ela.

De acordo com o ecólogo, 10% da população de botos está sendo morta a cada ano, por caça predatória. Ele disse que o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCT), porém, o objetivo é a preservação por meio da educação ambiental.

"Pretendemos montar uma rede de estudos e incentivo à preservação desses animais, que vêm sendo ameaçados há muito tempo, e consequentemente pretendemos [alcançar] a preservação de outros animais indiretamente", destacou.

Com informações da EPTV

Comentários

  1. isso é um absurdo, nunca tem jeito pras coisas q nao atingem os humanos. os animais sempre sao deixados de lado. ridiculo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não divulgamos links.Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do M.V News.

Motorista usa manequim para enganar polícia e acaba no tribunal.