VOTAÇÃO RELÂMPAGO


Gostaria de falar um pouco sobre um paradoxo que faz parte do cotidiano brasileiro. Realmente quando se fala de macroeconomia que tem como objetivo a compreensão dos fenômenos econômicos numa perspectiva agregada, poucos aprofundam-se no centro do assunto, mas abertamente abrindo o jogo. É comum no cenário econômico "CORTAR GASTOS" é a meta estabelecida por todos os governantes para a saúde financeira. Porém não parece que alguns parlamentares estão dando o remédio certo, ao paciente Brasil.

Em uma votação relâmpago que durou menos de 50 minutos, o plenário da Câmara aprovou 11 projetos de lei que criam 584 cargos em Tribunais Regionais do Trabalho, 243 cargos de juiz e outros 97 cargos para serem preenchidos sem concurso público também nos tribunais. Além disso, foram criadas 521 funções de gratificação, que significam reforço salarial concedido a funcionários do quadro efetivo. O Conselho Nacional do Ministério Público também foi beneficiado com a criação de 39 cargos e funções comissionadas desse total.

A aprovação foi por meio simbólico em um plenário quase vazio, sem o registro dos votos no painel eletrônico. Os cargos e funções vão aumentar as despesas em, pelo menos, R$ 129,307 milhões por ano, segundo cálculo elaborado pelo deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP), que criticou a aprovação dos projetos. Ele fez o levantamento dos custos com base no valor previsto quando os projetos foram apresentados. "Esse total já deve ser maior por causa da correção", afirmou. Os projetos foram apresentados entre 2001 e 2007.
Fonte:Estadão

Comentários

O Caçador de Recompensas (1972) | Filme de Faroeste Dublado