Divisão dos royalties deve ser justa

Momento Verdadeiro
Empatia do povo baiano e sua gastronomia arretada de quente!

Momento Verdadeiro - Menino vende verduras nas ruas da cidade

Senador Mão Santa defendeu em Plenário a utilização dos royalties do petróleo da camada pré-sal para diminuição das desigualdades regionais.

Um Brasil dividido e milhares de pessoas no meio, a possibilidade de distribuição das riquezas do petróleo é o assunto predominante em várias cidades brasileiras. Em Teixeira de Freitas uma modesta cidade do extremo sul da Bahia que tem sua base econômica fundamentada na agricultura e comércio. Diferentemente das cidades do Rio de Janeiro que são produtoras de petróleo e tem a sociedade diretamente envolvida no processo de luta pela garantia de seu direito, o tema “divisão dos royalties” ainda é tratado por poucos, que vêem uma ótima oportunidade surgir para melhorar a qualidade de vida local.


Arnoldo Simões,vice-presidente PRB(BA) - Washington Luiz, blogueiro

Sr. Arnoldo Simões, vice-presidente do Partido Republicano Brasileiro em Teixeira de Freitas (BA) falou sobre o assunto. “Vivemos num País de muitas riquezas não só o petróleo mais minérios, entre outras, porém são mal distribuídas. Essa questão de partilha dos royalties é muito polêmica porque mexe com a Constituição Federal e o direito de compensação dos estados e municípios produtores de petróleo, no entanto é preciso que se haja com prudência. Vejo surgir uma oportunidade de diminuir esse grande fosso social, principalmente na região nordeste. Claro que estamos diante de uma decisão que necessita de uma ação consciente das autoridades afim de não prejudicar os municípios produtores, mas que pode sim, ser resolvida de maneira que a União fortaleça a democracia diminuindo a desigualdade.”

Vendedor de Requeijão na feira de Teixeira de Freitas

Feijão de Corda fresquinho vendido na feira

Mulheres buscam água potável para consumo da família

Quem mais ganhará com a redistribuição do dinheiro dos royalties com a emenda Ibsen Pinheiro será o estado da Bahia. Em seguida estão Ceará, Maranhão e Pernambuco. Estima-se que as receitas da Bahia chegariam a mais de R$ 2 bilhões por ano, sendo que hoje não ultrapassa a R$280 milhões.

Por: Washington Luiz

Comentários

Postagens mais visitadas