Caos na saúde pública em Campos após feriado prolongado

CAMPOS DOS GOYTACAZES
Reprodução/TV
Ao término do feriadão e das festividades carnavalescas fora de época em Campos. Os Hospitais amanheceram superlotados, com um atendimento precário. Centenas de pessoas ficaram horas nas longas filas em busca de atendimento e não conseguiram o mesmo.

Durante entrevista no Programa Balanço Geral, o secretário de Saúde Dr. Paulo Hirano atribuiu à demanda centralizada como responsável pelo grande transtorno.

As imagens exibidas no Programa mostravam centenas de pessoas, em sua maioria, idosos em busca de consultas, marcação de exames, entre outros vários atendimentos efetuados pela rede pública.

De acordo com secretário de saúde, as longas filas são consequência do feriado. “Como os serviços ambulatoriais não funcionaram no feriado houve uma grande procura da população hoje, o que acabou gerando esse transtorno.” Relatou o Secretário.

Paulo Hirano disse ainda que esse problema é cultural. Uma questão de histórico que foi pulverizado. Lembrou que a população deve procurar as Unidades Básicas de Saúde de seus respectivos bairros, que segundo o secretário estão estruturadas para receber e encaminhar o paciente, marcando consultas e exames. Algumas Unidades já estão realizando coleta de sangue e encaminhando para os laboratórios. Essas imagens não mostram a realidade do dia a dia, a demanda reprimida da semana anterior provocou essa corrida aos hospitais, que precisam melhorar seus espaços físicos para receber a população. Finalizou o Hirano.

O apresentador Alexandre Tadeu finalizou a entrevista focando a necessidade de uma intervenção urgente, para mudar essa situação. Vamos aguardar os desdobramentos dos atendimentos nos próximos dias, para comprovar os dados apontados pelo secretário.

Saúde é prioridade, ao menos a meu ver é o maior bem que um ser humano pode possuir.

Por: Washington Luiz - Fonte: Balanço Geral

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PF deflagra 59ª fase da Operação Lava Jato.

Toffoli determina votação secreta na eleição do Senado.