Código Florestal deverá ficar emperrado no Senado Federal.

Reprodução/internet
O Código Florestal deverá ficar emperrado no Senado, foi o que deixou a entender o presidente José Sarney.  A Agência Brasil publicou nesta quinta-feira a seguinte matéria - Pressa é uma palavra que os senadores, da base ou da oposição, não usam quando o assunto é a votação do projeto de lei que altera do Código Florestal Brasileiro, em vigor desde 1965. O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), é o primeiro a dar o tom do discurso que vem sendo repetido pelos demais parlamentares até mesmo antes de a matéria ser aprovada pela Câmara. Segundo ele, antes de se votar a proposta, que ainda será apreciada em pelo menos três comissões – Constituição e Justiça, Meio Ambiente e Agricultura –, os senadores analisarão a matéria “sem atropelo”.

“Eu não posso avaliar [prazos], mas acho que votaremos [o novo código] no tempo necessário, sem nenhum atropelo, de maneira que todas as classes e opiniões envolvidas possam se manifestar”, disse o parlamentar. José Sarney também destacou que, para garantir esse tempo necessário, o ideal seria que a presidenta Dilma Rousseff reeditasse o decreto que isenta de multa os proprietários de terra que descumpriram a legislação ambiental ao explorar áreas de reserva legal. O dispositivo vence em 11 de junho de 2011. Para Sarney, é preciso mais tempo.

Essa posição foi tomada ontem (25) pela bancada do PMDB e Sarney acredita que, neste ponto, há concordância de todos os partidos representados na Casa. “Isso permitirá que o Senado tenha o prazo necessário para ouvir todas as partes e não termos aquela grande controvérsia que tivemos na Câmara dos Deputados”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PF deflagra 59ª fase da Operação Lava Jato.

Toffoli determina votação secreta na eleição do Senado.