Pular para o conteúdo principal

Universidade Estácio de Sá nega que cobra ou tenha intenção de cobrar taxa de seus alunos para emitir boletos ou carnês.

(DIVULGAÇÃO)
Nesta quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012, o "Momento Verdadeiro" faz saber através de nota enviada pela Assessoria de Comunicação da “Universidade Estácio de Sá”  que instituição nega a informação de que estaria cobrando para emitir boleto bancário ou carnês  a seus alunos.

A “Estácio de Sá” informa que desde 2009 quando assinou um TAC (“Termo de Ajustamento de Conduta”) com o Ministério Público do Rio de Janeiro, este representado pelo Promotor da 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva (Dr. Júlio Machado Teixeira Costa), através do qual a Instituição assumiu o compromisso de abster-se de cobrar de seus alunos quaisquer taxas bancárias decorrentes de emissão de carnês ou boletos bancários ou, ainda, quaisquer outros custos havidos para a cobrança dos respectivos produtos ou serviços bancários.

Aliás, torna-se importante ressaltar que a Instituição cancelou, por sua própria vontade, o repasse da referida taxa bancária em momento anterior à assinatura do referido TAC e que assinou o mesmo como forma de reforçar e demonstrar ao Ministério Público sua intenção de não cobrar de seus alunos a referida taxa.

A Estácio ressalta, também, que a Instituição não cobra mais por essa taxa e nem tem a intenção de voltar a fazer tal cobrança. Inclusive, o próprio Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, através da 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva (por iniciativa do Promotor Júlio Machado Teixeira Costa), fiscalizou a Estácio e ainda fiscaliza periodicamente para constatar o fiel cumprimento do TAC, sendo certo que em todas as verificações, a Estácio comprova de forma inquestionável a abstenção da cobrança da referida taxa bancária.

Por todo o exposto, a Estácio confirma a não procedência da informação fornecida pela 4ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do referido órgão, na medida que temos um TAC inegavelmente firmado e em vigor com o próprio Ministério Público do Rio de Janeiro e que o mesmo está sendo fiel e integralmente cumprido pela Instituição.

Cabe, ainda, informar que já havendo um TAC firmado com a 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, o direito tutelado por esse instrumento já está devidamente resguardado, não sendo necessário, portanto, a assinatura de outro TAC com uma Promotoria do mesmo órgão e do mesmo Estado, tratando da mesma matéria e/ou direito.  

Por fim, a Estácio desconhece a citada Ação Civil Pública supostamente distribuída pela 4ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. Independentemente da existência da referida ação judicial, a Estácio entende que a mesma carece de embasamento fático, na medida que temos um TAC firmado e que, principalmente, não está cobrando a referida taxa.

*Com informações da Ascom da Universidade Estácio de Sá.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vídeo Som de trombetas no céu de Israel é real?

O mundo tem sofrido muitas mudanças. Por conta destas mudanças, muitos acreditam que a segunda vinda de Jesus Cristo está bem próxima. Será que já estamos vivendo o Apocalipse bíblico? Bom! De tudo que já ouvi até hoje, apenas uma coisa é certa. A morte chegará em algum momento para cada um de nós, e não poderemos fazer nada. Ela poderia ser o fim, mas para quem crê, a morte é um novo começo ao lado de Deus.

Fim do mistério! Vídeo Som de trombetas vindo do céu em Jerusalém.

Recentemente fiz um post, que você pode ler na íntegra neste (link) comentando uma notícia falsa de que a Nasa tinha confirmado uma catástrofe no Brasil. Agora vou falar sobre um vídeo, intitulado: "Som de trombetas no céu de Israel", que foi publicado no Youtube no inicio do mês de outubro e já tem mais de 150 mil visualizações.

Lei sobre ‘chip da besta’ desrespeita à Constituição, diz PGL.

Cientista choca ateus ao confirmar que a oração tem o poder de curar doenças?

Papa Francisco vai visitar Congregação…

Você está no Cadastro Único do Governo Federal.

Os últimos dias têm sido difíceis para milhões de brasileiros devido a pandemia de coronavírus, que assola o mundo. Vivemos momentos de incerteza e diferente daqueles que tem condições de receber um tratamento adequado em caso de contaminação e até uma possível complicação do quadro desencadeado pela Covid-19, que pode ser fatal, sabemos que o sistema de saúde pública não terá condições de suportar uma demanda alta. E é por isso que somos obrigados a ficar em casa de quarentena.  Mas, além da Covid-19, temos outro problema. Como se manter durante a quarentena? Então! Eis que uma pequena luz se acende. Só que, ao que parece, esse auxílio ainda não chegou a milhões de famílias. Pais de família e donas de casa, trabalhadores informais e desempregados que todos os dias acessam o sistema e se deparam com uma mensagem que avisando: Você está no Cadastro Único do Governo Federal.As condições para recebimento do Auxílio Emergencial serão avaliados com os seus dados do Cadastro Único. Lembram…

Casal da Cedae chega de Kombi pede amostra de água e assalta residência [é boato].

Assunto: Boatos que circulam pela internet Homem e mulher disfarçados com uniforme da Cedae realizam assaltos à residências. Casal usando uniforme da Cedae assaltam residências. Olá pessoal. Está circulando pelo Facebook e também pelo WhatsApp um texto alertando que um casal usando o uniforme da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (CEDAE) estaria realizando assaltos à residências. 
Segundo o texto, eles chegam de Kombi e dizem que vão fazer coleta de água para análise."Se chegar uma kombi na porta da sua casa com um homem e uma mulher com uma pasta dizendo que é da cedae que veio tirar amostra da água, não atenda que é assalto são bandidos espalhe pra todo mundo da vizinhança". É fato que, recentemente, foi constatado pelas autoridades que ocorreu um aumento deste crime. Por exemplo, em Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, o roubo à residência aumentou 97,36% do primeiro semestre do ano passado para este. De janeiro a julho de 2017, foram registrados 75 casos. …