PM morto dentro de Camaro amarelo estava com R$100 mil.

(Fotos: Facebook do Sargento Mozar)
O corpo do sargento da Polícia Militar Mozar Soares da Cunha, assassinado ontem (28), em Coelho Neto, na zona norte do Rio de Janeiro, foi sepultado na tarde de hoje (29) no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap.

Cunha foi assassinado na Rua Bertin, próximo a uma das saídas da Avenida Brasil quando estava dentro de um Camaro, supostamente ao reagir a um assalto. Os assassinos fugiram levando a arma do policial e uma maleta com R$ 100 mil que estava no interior do veículo.

De acordo com a mulher do PM, Nilva Carla, gerente da loja, o marido tinha acabado de sacar o dinheiro, em um banco na Pavuna e ia realizar um pagamento com uma vendedora, na Ceasa, em Irajá.

Segundo informações do 9º BPM (Rocha Miranda), o sargento estava de folga quando foi rendido por quatro homens armados de pistola e de fuzil. Ele teria dito aos bandidos: "Não me esculacha, não", ao sair do carro, antes de levar os dois tiros, no pulmão e no coração, informou o jornal Extra.

O policial seria dono de uma empresa especializada no comércio de cestas básicas chamada O Crack da Cesta e na traseira do veículo, que não foi levado pelos assaltantes, havia um adesivo da empresa.

O sargento era lotado no 5º Batalhão da Polícia Militar (BPM), localizado na Praça da Harmonia. Ele ainda foi levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, mas não resistiu e morreu ainda a caminho da unidade.

Agentes da Divisão de Homicídios, que investigam o caso, procuram testemunhas que possam ajudar na identificação dos autores do homicídio ou no esclarecimento do caso. 

Agência Brasil.

Comentários

Postagens mais visitadas