Ministros do STJ decidiram que bancos devem pagar juros em casos de perdas na poupança.


Os ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiram, na tarde de hoje (21), que os bancos deverão contabilizar juros, no pagamento a poupadores prejudicados por planos econômicos passados, desde a citação em ação civil pública (ACT) movida em 1993. A votação foi apertada, dividindo a corte. O voto do presidente Felix Fisher decidiu o julgamento.

Dessa forma, os juros de mora – ou seja, de atraso de pagamento – começam a ser contados desde a Ação Civil Pública movida pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), ganha em 1993. Com a decisão, os bancos terão que calcular os juros de mora desde esse período.

O debate envolveu ainda a questão da eficácia da ação civil, uma vez que os bancos defendem que os juros só sejam contados quando um indivíduo entre com uma ação, balizando-se na vitória já obtida pela ACP. Defensores dos poupadores entendem que o sucesso da ação já serve para iniciar a contagem dos juros de mora, uma vez que os bancos, a partir daí, já conhecem a dívida.

A decisão balizará outros tipos de ações, como reajustes de planos de saúde, cobranças indevidas ou perdas ocorridas em outros planos econômicos. Acompanhe nossas atualizações pelo Facebook Twitter.

Da Agência Brasil

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Professora cometeu crime de propósito para ser presa?

Professor Xavier e Magneto se casaram?

Chamar uma mulher de cachorra é elogio?

Morre Berenice Benício, mãe do ator Murilo Benício, vítima de câncer.

Jô Soares no velório do filho, Rafael Soares.