GM faz recall de mais 8 milhões de veículos no mundo.


A General Motors ampliou nesta segunda-feira (30) a lista de modelos antigos incluídos no recall que envolve um componente defeituoso da ignição. A montadora adicionou 8,23 milhões de carros compactos e de médio porte à convocação para resolver o problema vinculado a sete acidentes e três mortes.

Um dos acidentes ocorreu com a jovem Mykia Jordan, que não se lembra do acidente de carro que a colocou em coma por três semanas, deixou uma larga cicatriz em seu queixo e a obrigou a ter de usar uma bengala aos 23 anos. Ela sabe apenas o que a polícia e outros contaram para ela – que, no meio de uma tarde de domingo, com o filho numa cadeira de bebê no carro, ela perdeu o controle do Chevrolet Cobalt numa alça de uma rodovia em Detroit. O veículo bateu em uma barreira de concreto e capotou. O airbag não funcionou.

Mykia perdeu um ano de trabalho e de escola enquanto se recuperava de um ferimento na cabeça e de diversos ossos quebrados, respirando por meio de uma traqueostomia e reapreendendo a andar. O bebê quase não se feriu – uma sorte imensa que Mykia diz aliviar a dor na perna que ela sente todo dia. Advogados e investigadores agora acreditam que o acidente de Mykia em 14 de outubro de 2012 foi causado por uma falha na ignição instalada em veículos Cobalt e em diversos outros modelos da General Motors.


Vinte e nove milhões de veículos já foram convocados para recall pela GM, com mais da metade – cerca de 14,7 milhões – por conta de potenciais problemas no contato da ignição. No ano passado, a GM vendeu 2,8 milhões de veículos nos Estados Unidos e 9,7 milhões globalmente.

No início desta segunda-feira (30), a GM deu detalhes sobre um fundo de compensação estabelecido para fornecer ao menos US$ 1 milhão a vítimas de acidentes ligados ao problema em carros compactos antigos, incluindo o Chevrolet Cobalt e o Saturn Ion.

A GM disse que as vítimas dos acidentes em carros convocados pelo recall nesta segunda-feira (30) não serão incluídas no fundo administrado pelo advogado Kenneth Feinberg e que não há planos de estabelecer um fundo separado para essas vítimas.

"Foi uma resposta excepcional para uma série de erros única que ocorreu em um período extenso de tempo", disse o porta-voz da GM, Jim Cain.

A GM disse nesta segunda-feira (30) que aumentará em US$ 500 milhões o encargo a ser registrado no segundo trimestre para cobrir os custos dos recalls. Até o momento neste ano, estima-se que as baixas contábeis totalizem US$ 2,5 bilhões.

Curta nossa página no  Facebook Twitter.

Fonte: iG

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PF deflagra 59ª fase da Operação Lava Jato.

Toffoli determina votação secreta na eleição do Senado.