Quadrilha toma ruas e assalta banco em Cametá

Alan Kardec pede punição para torcedora por ato de racismo contra Aranha.


Após o goleiro Aranha, do Santos, ser vítima de insultos racistas de torcedores do Grêmio, na vitória dos santistas por 2 a 0, durante a partida de ida pelas oitavas de final da Copa do Brasil, nesta quinta-feira, outros profissionais do esporte se manifestaram nas redes sociais em apoio ao goleiro.

Um desses foi o atacante Alan Kardec, do São Paulo, que perguntou se haveria punição para a torcedora flagrada chamando Aranha de macaco. “Será que essa qualquer aí, que NÃO representa milhares de torcedores de uma nação, receberá punição pelo ato racista? Tomara que sim. VERGONHA! Fica meu desabafo!”, escreveu o atacante Alan Kardec, sobre a imagem reproduzida pelo canal "ESPN Brasil".

O filho do jogador Aranha, Bernardo, também usou seu perfil para falar do “orgulho de ter um pai negro”. “Já cansei disso, que palhaçada! #somostodosmacacos Até quando isso não vai acabar? Eu tenho orgulho de ter um pai negro!”, escreveu o garoto, ao publicar uma foto com o pai. A mulher do jogador, Juliana Costa, também se manifestou nas redes sociais e disse que tinha orgulho de ser casada com um homem negro. "Muito orgulho do meu marido negro #somostodosmacacos!!!", escreveu a esposa do arqueiro, que lançou as hastags  #fechadocomoaranha e #aranhatocomvoce. 

Aranha também recebeu apoio de jogadores, ex-jogadores e de clubes pelas redes sociais.

“C20 ComeçAki- Apoiar, Acreditar, Realizar... Vamos retribuir amigos! #ídolosmaximos#juntossomosaindamaisfortes #eternos #forçaAranha #somostodosiguais @fluminensefc #amomuitotudoisso”, escreveu o ex-volante Marcão, atualmente auxiliar técnico no Fluminense.

O Santos publicou um manifesto no site oficial para dar total apoio ao goleiro Aranha e repudiando qualquer ato racista. O clube chamou o ato de "inadmissível" e avisou que "adotará as medidas cabíveis" e espera "que esse seja o último caso em que o futebol e a competição saudável percam espaço para um acontecimento desprezível".

Veja o manifesto na íntegra:

"Apesar do Clube acreditar que trata-se de fato isolado, que destoa da postura do respeitado adversário e sua torcida, considera impossível ignorar a manifestação de parte daqueles que estavam na arena e proferiram gestos e palavras ofensivos dirigidos ao cidadão Mário Lúcio Duarte Costa, casado e pai de quatro filhos.
Para esse escudo, o ato representa a ignorância de uma minoria da sociedade, mas por reconhecer o seu compromisso social em colaborar para a inibição de qualquer ato de preconceito, defendendo a sua cultura e a posição de seus torcedores, simpatizantes e ídolos, o Peixe resgata, no dia de hoje, a campanha #RacismoNão. A mesma foi criada há menos de um ano, após situação semelhante que vitimou mais um grande ídolo do alvinegro praiano, o volante Arouca.

"Não tenho outra palavra a dizer, que não seja decepção. Estamos caminhando por um País melhor e vimos muitas manifestações em busca de melhorias nos últimos tempos. Mas atitudes como a de hoje (28 de agosto de 2014, na partida entre Santos FC e Grêmio, em Porto Alegre), mostram que precisamos melhorar como seres humanos.
Caráter é tudo! Se não há homens de bem e pessoas de caráter, há uma contaminação na política, no trabalho, nos eventos e, claro, na vida. É preciso inibir esse tipo de ato, pois se não o fizermos, estamos, de certa maneira, concordando com isso.
Hoje, a vítima fui eu. No entanto, isso já ocorreu com várias outras pessoas e continuará acontecendo se não inibirmos esse tipo de ação. Agora, o mais importante é a consciência daqueles que estão próximos dessas pessoas a convencê-las de que este não é o caminho”, Aranha.

O Clube adotará as medidas cabíveis e espera, tal qual seu atleta Aranha, que esse seja o último caso em que o futebol e a competição saudável percam espaço para um acontecimento desprezível. Hoje saímos vitoriosos dentro das quatro linhas; mas com ainda mais raça para melhorar o que acontece “fora” delas. #MuitoAlémdoFutebol #RacismoNão".
Curta nossa página no  Facebook Twitter .

Com informações do Extra

Comentários