FBI não dirá à Apple como desbloqueou iPhone de atirador.

O desbloqueio do iPhone de um dos acusados de ter participado do tiroteio de San Bernardino, na Califórnia, nos Estados Unidos, foi uma tarefa difícil para o FBI. Os federais tiveram que contratar hackers para descobrir como ter acesso ao aparelho sem comprometer os dados. Para alcançar o objetivo, o FBI teve que pagar mais de US$1 milhão porque a Apple decidiu não desbloquear o smartphone.

O tiroteio de San Bernardino aconteceu em dezembro do ano passado e deixou 14 mortos. Fato é que após desbloquear o iPhone, investigadores do FBI conseguiram acessar informações importantes, como noticiou a agência France Presse (AFP).


Agora o FBI resolveu que não vai revelar para Apple como conseguiu burlar o sistema de segurança da empresa. A informação foi confirmada pela diretora adjunta para Ciência e Tecnologia da polícia federal americana, na última quarta-feira (27). Segundo Amy Hess, o FBI não comprou os direitos sobre os detalhes técnicos de como funciona o método. "Não compramos os direitos sobre os detalhes técnicos de como funciona o método, nem a natureza nem a extensão da vulnerabilidade na qual esse método se baseia para poder operar".

Washington Luiz, repórter do Momento Verdadeiro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Boatos de que tigres teriam fugido do zoológico se espalham pela web + NOTÍCIAS.

Presidente do STJ nega 143 pedidos de liberdade a Lula + NOTÍCIAS

Presidente do STJ nega liberdade a Lula + NOTÍCIAS.