NOTÍCIA: MP deve investigar privilégio no atendimento à mãe do prefeito Marcelo Crivella.

É notícia. O Ministério Público do Rio de Janeiro deve investigar se houve privilégio no atendimento à senhora Eris Bezerra Crivella, mãe do prefeito Marcelo Crivella. Ela deu entrada no Hospital municipal Salgado Filho, no Méier, na última sexta-feira à noite com uma fratura radio distal esquerda desviada. A mãe do prefeito foi operada no sábado e já teve alta.

De acordo com informações do jornal 'Extra', a Defensoria Pública do Estado e o Conselho Regional de Medicina (Cremerj) já anunciaram que irão instaurar sindicâncias para descobrir se houve preterição de outros pacientes.

Neste caso, é provável que ocorra instauração de um procedimento investigatório para apurar eventual tratamento discriminatório preferencial pelo MP. Além disso, o Cremerj também irá instaurar a sindicância para saber se houve, de fato, tratamento privilegiado. A Coordenadoria de Tutela Coletiva da Defensoria Pública também vai atuar no caso.

A internação de Eris Bezerra Crivella teria causado um movimento diferente na unidade de saúde. Ainda de acordo com informações do jornal carioca, acompanhantes de outros pacientes relataram que horas antes de sua chegada, o local recebeu limpeza e desinfecção. Inclusive, segundo eles, os pacientes teriam sido retirados de um quarto para acomodá-la. Nem mesmo pela triagem, a mãe de Crivella teria passado ao chegar na unidade. 

A Secretaria Municipal de Saúde nega tudo. "Os hospitais da rede municipal não recusam pacientes que precisam de atendimento e, por isso, podem funcionar além de sua capacidade ideal. Os pacientes internados no Hospital Municipal Salgado Filho estão em tratamento clínico ou aguardam cirurgias eletivas, ou seja, aquelas que não são de emergência e nem de urgência". Com informações do jornal Extra.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Iceberg enorme assusta moradores de vilarejo na Groenlândia.

Saiba o que muda com a lei que protege seus dados na rede + NOTÍCIAS

Buldogue francês branco e preto é furtado e pintado para não ser reconhecido.