Patrões suspeitos de planejar morte de empregada grávida para receber seguro de R$ 260 mil.

Veja que absurdo! O caso a seguir ocorreu em uma praia em Mongaguá, litoral do estado de São Paulo. Uma jovem de 20 anos, identificada como Atyla Arruda Barbosa, morreu afogada, mas tudo leva a crer que a morte foi planejada pelos patrões dela. O motivo: receber o seguro de vida - R$ 260 mil.
Patrões suspeitos de planejar morte de empregada grávida para receber seguro de R$ 260 mil.
Um laudo do Instituto Médico Legal mostra que ela estava grávida de três meses. 

Os suspeitos, um homem de 47 anos e sua esposa, de 41 anos, estão presos. A polícia descobriu que o casal, que se identificavam como padrinhos da jovem, eram patrões dela. A patroa era a única beneficiária do seguro de vida da empregada.

O homem disse à polícia que engravidou a jovem porque sua esposa não poderia ter filhos. Ele admitiu que era o pai do bebê. As investigações apontam que o casal tentou simular um afogamento para que ambos pudessem ficar com o dinheiro do seguro. 

O casal encaminhado foi levado para a Cadeia Pública, e seguem presos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PF deflagra 59ª fase da Operação Lava Jato.

Toffoli determina votação secreta na eleição do Senado.