Mãe perde guarda de filho por morar em área considerada de risco.

Uma decisão da Justiça do Rio de Janeiro divide opiniões e ganhou destaque na imprensa nesta segunda-feira. Com o argumento de que uma mãe vive com o filho em um bairro considerado de risco na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro, um juiz bateu o martelo a favor do pai e tirou a guarda da mãe. 

Ela mora em Manguinhos e trabalha como agente comunitária de saúde há quatro anos, com carteira assinada, possui casa própria e paga escola particular para o filho, mas isso não foi o suficiente para manter a guarda, pois no entendimento do magistrado além de morar em uma área de risco, o menino necessita de um exemplo paterno, por ser do sexo masculino.

O pai da criança mora em outro estado e não o vê o filho há quatro anos. Ele é militar e atualmente reside na cidade de Joinville, em Santa Catarina. O pai é suboficial da Marinha. Está é a segunda decisão a favor dele, na primeira decisão, o juiz deu a guarda para o ex-marido e, na sentença, afirmou que ela morava em um "lugar insalubre". Conforme informações do portal de notícias G1, o processo corre em segredo de justiça e, a pedido da defesa, os nomes do ex-marido, do menor e do magistrado foram citados.

Segundo Rosilaine Santiago, mãe do menino de 8 anos, ela conheceu em 2010 na Região dos Lagos. Pouco tempo depois, eles foram morar na casa dela. A separação veio em 2014, após uma acusação de violência doméstica. O caso foi registrado na 21ª DP (Bonsucesso) como ameaça. De acordo com os advogados do pai da criança, houve uma discussão porque ele queria ver o filho e não teve a permissão de Rosilaine.

Ela luta na Justiça para permanecer com a guarda do filho. A defesa vai entrar com um recurso na próxima semana e pedir a anulação da decisão. Com informações do G1.

Comentários

Eu apoio Notícias do Momento

Postagens mais visitadas deste blog

PF deflagra 59ª fase da Operação Lava Jato.

Toffoli determina votação secreta na eleição do Senado.