Mãe perde guarda de filho por morar em área considerada de risco.

Uma decisão da Justiça do Rio de Janeiro divide opiniões e ganhou destaque na imprensa nesta segunda-feira. Com o argumento de que uma mãe vive com o filho em um bairro considerado de risco na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro, um juiz bateu o martelo a favor do pai e tirou a guarda da mãe. 

Ela mora em Manguinhos e trabalha como agente comunitária de saúde há quatro anos, com carteira assinada, possui casa própria e paga escola particular para o filho, mas isso não foi o suficiente para manter a guarda, pois no entendimento do magistrado além de morar em uma área de risco, o menino necessita de um exemplo paterno, por ser do sexo masculino.

O pai da criança mora em outro estado e não o vê o filho há quatro anos. Ele é militar e atualmente reside na cidade de Joinville, em Santa Catarina. O pai é suboficial da Marinha. Está é a segunda decisão a favor dele, na primeira decisão, o juiz deu a guarda para o ex-marido e, na sentença, afirmou que ela morava em um "lugar insalubre". Conforme informações do portal de notícias G1, o processo corre em segredo de justiça e, a pedido da defesa, os nomes do ex-marido, do menor e do magistrado foram citados.

Segundo Rosilaine Santiago, mãe do menino de 8 anos, ela conheceu em 2010 na Região dos Lagos. Pouco tempo depois, eles foram morar na casa dela. A separação veio em 2014, após uma acusação de violência doméstica. O caso foi registrado na 21ª DP (Bonsucesso) como ameaça. De acordo com os advogados do pai da criança, houve uma discussão porque ele queria ver o filho e não teve a permissão de Rosilaine.

Ela luta na Justiça para permanecer com a guarda do filho. A defesa vai entrar com um recurso na próxima semana e pedir a anulação da decisão. Com informações do G1.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PF deflagra 59ª fase da Operação Lava Jato.

Toffoli determina votação secreta na eleição do Senado.