Mudanças climáticas podem estar levando a mais 'divórcios' dos albatrozes

Conforme informações da agência de notícias BBC, os albatrozes, que são extremamente fiéis comparadas a outros animais, estão se "divorciando" mais. Isso porque casais podem romper porque a chama do amor apagou, ou porque simplesmente os parceiros não conseguem encontrar um tempo para ficar juntos.

Será que as mudanças climáticas podem levar a términos? No mundo dos albatrozes, pode ser. Uma pesquisa publicada na revista científica da Royal Society analisou a situação de 15.500 casais reprodutores nas Ilhas Malvinas durante 15 anos.

Em termos humanos, o "divórcio" dos albatrozes é basicamente... traição. Significa que um dos parceiros acasala com um terceiro indivíduo. Como os humanos, estas aves também têm trajetórias amorosas feitas de contratempos e tentativas — e às vezes falhas — para descobrir a melhor maneira de entrar em um relacionamento.

Mas, no final das contas, quando elas encontram um bom par, normalmente ficam juntos pelo resto da vida. Historicamente, apenas 1% dos albatrozes se separam depois desse casamento, um percentual muito menor do que entre humanos de países como Brasil e Reino Unido. Mas nos anos analisados pelo estudo, em que foi observado um aquecimento das águas, até 8% dos casais de albatrozes se separaram.

Raro 'monstro' do fundo do mar surge em praia dos EUA

O estudo diz que "o divórcio motivado pelo meio ambiente pode ser uma consequência" negligenciada das mudanças climáticas. Sabe-se que muitas comunidades de albatrozes pelo mundo estão passando por dificuldades.

Alguns dados de 2017 sugerem que o número de casais reprodutores da espécie é um pouco mais da metade do que eram na década de 1980. Com informações da BBC.

Comentários

Postagens mais visitadas