Operação Mercenários: 11 PMs procurados por corrupção, tortura, peculato e concussão

No Rio de Janeiro, ocorre nesta quinta-feira (26), a Operação Mercenários coordenada pelo Ministério Público e a Corregedoria da Polícia Militar. Até o momento, segundo informações repassadas pela imprensa, onze policiais militares são procurados. 

Os agentes são acusados de sequestrar criminosos e exigir pagamento de resgate para liberá-los. O  Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) diz que os policiais sequestrava criminosos mediante tortura e pagamento de resgate, vendia armas, vazava operações e fazia troia, uma espécie de tocaia para surpreender traficantes.

Segundo o MP, quatro dos denunciados exigiram R$ 1 milhão de Léo Marrinha, chefe do tráfico do Cantagalo/Pavão-Pavãozinho, para não prendê-lo. Os policiais militares são procurados por corrupção, tortura, peculato e concussão.

De acordo com informações do telejornal Bom Dia Rio, entre os investigados, estão o comandante do 15º BPM (Duque de Caxias), o tenente-coronel André Araújo de Oliveira, que foi afastado, e o chefe do Serviço Reservado (P2) do batalhão, o capitão Anderson Santos Orrico. Contra os dois havia mandados de busca e apreensão. Na casa de Orrico, agentes retiveram R$ 96 mil. (Com informações do g1).

Comentários

Postagens mais visitadas