Indicado de Bolsonaro trava há nove meses ação sobre decreto de armas

Se a simples possibilidade de ter uma arma fosse suficiente para solucionar os graves problemas de segurança que estamos, infelizmente, acostumados a ver diariamente nos noticiários, todos os cidadãos brasileiros deveriam ter uma arma não é? No entanto, ao contrário do que pregam alguns radicais, a arma na mão de quem não está apto para usá-la é uma ferramenta perigosa. Portanto, ineficaz! 

Fato é que desde o dia 17 de setembro do ano passado, quase 270 mil novas armas foram parar nas mãos de brasileiros, informa o jornal O Globo nesta sexta-feira, 17 de junho.

Isso ocorreu justamente na data em que o ministro Nunes Marques, indicado de Bolsonaro para o STF, interrompeu o julgamento de ações que questionavam decretos do presidente que facilitam acesso a armamentos no país. 

Desde que chegou ao STF, em novembro de 2020, têm sido frequentes pedidos de vista e de destaques apresentados por ele em ações de interesse do governo. Nunes Marques paralisou os processos sobre flexibilização de acesso a armas quando três dos seus dez colegas de plenário já haviam votado para suspender trechos dos decretos presidenciais. Com informações do jornal O Globo.

Comentários

Postagens mais visitadas