Polícia de Campos, RJ, diz que Luana mandou matar Ana Paula.

Assunto: Ocorrência Policial em Campos dos Goytacazes.
Caso Ana Paula: Polícia confirma que cunhada foi mandante do crime.

Polícia de Campos, RJ, confirmou a participação de cunhada de Ana Paula no crime.

Polícia de Campos, RJ, diz que Luana mandou matar Ana Paula.
A Polícia Civil e Militar trabalham em conjunto em um caso que chocou os moradores da cidade de Campos dos Goytacazes, no interior do Rio de Janeiro, e teve como consequência a morte da jovem Ana Paula Ramos, de apenas 25 anos. 

Nesta quarta-feira, dia 23 de agosto, o delegado Luis Maurício Armond, titular da 146ª Delegacia Policial, concedeu entrevista coletiva e confirmou que a jovem  Luana Sales mandou matar a própria cunhada, a universitária Ana Paula Ramos.

As primeiras informações davam conta que Ana Paula e a cunhada,  Luana Sales, foram vítimas de um assalto, que teve como consequência a morte da estudante. Porém, as investigações avançaram e com a prisão de três suspeitos, a polícia descobriu o envolvimento de Luana, que chegou a reconhecer um dos criminosos. 

Morte de Ana Paula Ramos foi encomendada por Luana.

De acordo com o delegado Luis Maurício Armond, os executores do crime e o intermediário confessaram toda a ação.

— Tanto os executores, quanto o intermediário, confessaram o fato em que a Luana teria realizado a contratação, dando neste dia do encontro na praça o valor de R$2.000,00, para que eles executassem a Ana Paula simulando um latrocínio e ela daria no dia dos fatos os quinhentos (R$500,00) restantes para finalização do contratado. No dia dos fatos, ela entrou em contato com um dos executores, porque inicialmente era para ser realizado na praça de Custodópolis o homicídio, mas eles alegaram que havia muitas pessoas no local, não seria interessante a execução ali e passaram a combinar na praça do Rio Branco, onde foi efetivamente para lá que eles se dirigiram. A Luana simulou junto a vítima que desejava a companhia dela para que vissem o vestido do casamento ... então elas iriam após tomar um sorvete a construção da Luana, que era próxima a essa praça, elas iriam ver a vestimenta da Luana para o casamento da vítima ... nesse interregno houve a chegada dos dois indivíduos e prontamente, de maneira calma, segundo os executores, ela entregou o envelope com os quinhentos restantes e eles executaram ela (Ana Paula Ramos) já que ela tentou empreender fuga e um deles executou os disparos na cabeça e no tórax vindo ela a ter morte cerebral, que se encontra no hospital ainda, em tratamento médico, mas como morte cerebral, nós então tratamos como homicídio consumado. Feminícidio, porque acreditamos que tenha relações familiares dos envolvidos. A autora, mandante, nega os fatos. Alega que desconhece. Foi feita uma acareação com um dos executores aonde ele confirmou os fatos enquanto ao encontro. Enquanto eles se conhecerem anteriormente, ela permaneceu em silêncio negando os demais fatos relacionados ao caso, disse o delegado.

Ainda de acordo com o delegado, as investigação da Polícia Civil é contundente em apontar a autoria da Luana como mandante do fato.  

 Luana Sales exerce seu direito de permanecer em silêncio.

Prisão temporária dos envolvidos

Todos os envolvidos tiveram mandados de prisão temporária de 30 dias pelo crime de homicídio triplamente qualificado. O delegado Luis Maurício Armond disse ainda que as investigações prosseguem para descobrir a real motivação do crime.

Universitária é baleada no Parque Rio Branco

Comentários

Canal do Washington Luiz - Notícias