Bernardo diz que não sofreu agressão no Complexo da Maré.


(Bernardo| Vasco da Gama - Divulgação)
Bernardo, meia do Vasco, teria levado três tapas no rosto apenas de traficantes, e não torturado, segundo um amigo do jogador ouvido pelo repórter Rodrigo Machado, da Bradesco Esportes FM Rio

De acordo com esta fonte, que estava com o apoiador, o meia não chegou a sair com Dayana Rodrigues, suposta namorada de Marcelo Santos das Dores, o “Menor P”, líder do tráfico no Complexo da Maré. De acordo com este amigo, os bandidos acusaram Bernardo de ter tido um caso com Dayana.

Bernardo decidiu falar. Em contato com o "Globo Esporte", o jogador do Vasco pediu para fazer um pronunciamento. A intenção, segundo ele, é deixar claro que, ao contrário do que relata a investigação policial, ele não foi agredido por traficantes do Complexo da Maré em razão de um suposto envolvimento com uma mulher que é apontada como namorada de Menor P., chefe do tráfico local. "Estou bem e saudável. Não fizeram mal nenhum comigo. Não sofri nenhum tipo de agressão. Estou à disposição da polícia para o que ela precisar ao longo dessa investigação" - disse Bernardo, que pediu para não responder perguntas sobre o episódio.

De acordo com a polícia, no último domingo, Bernardo foi sequestrado e agredido por traficantes dentro do Complexo da Maré.

Em nota oficial divulgada nesta sexta, o Vasco da Gama ofereceu suporte ao meia, além de assessoria jurídica e apoio psicológico. "A nossa prioridade é dar apoio total ao jogador. Claro que o Vasco não quer ver seu nome envolvido em qualquer coisa que não seja da esfera desportiva. Mas entende que o atleta deve receber suporte do clube em qualquer situação, enquanto os procedimentos legais são tomados - disse o diretor executivo de futebol do clube, René Simões." (Momento Verdadeiro|Com informações da Band e Globo Esporte). Leia também: Pastor morre baleado em tiroteio em Honório Gurgel.

Comentários

Postagens mais visitadas