Eu apoio Notícias do Momento

"Fenilpropanolamina": alerta sobre substância proibida pela Anvisa volta a circular na web.

Voltou a circular pelos grupos do WhatsApp e também nas redes sociais um alerta sobre medicamentos que usam a substância fenilpropanolamina, um farmaco usado em medicamentos, como descongestionante, antialérgico e emagrecedor. Em 2010, este alerta circulava por e-mail a mensagem dizia: “Remédio suspenso – Risco de morte”.

Esta mensagem trazia uma lista de medicamentos, entre eles, Benadryl, Contac, Alcode, Rinarin, Deutap, Defamil, Naldex, Nasaliv, Descongex, Senagrip, Rhinex e Cheracon. Olha que em 2010 está mensagem já era antiga, pois no dia 2 de setembro de 2005 a Agência Nacional de Vigilância Sanitária já tinha divulgado uma nota com esclarecimentos sobre as mensagens veiculadas na internet sobre os medicamentos com a substância fenilpropanolamina, que, até o ano 2000, estava presente na composição de vários medicamentos, principalmente nos antigripais, segundo a Anvisa. 

A fenilpropanolamina foi proibida no Brasil, por meio da Resolução RDC 96, de 8 de novembro de 2000. A medida foi adotada depois que a agência reguladora de medicamentos e alimentos dos Estados Unidos relatou a ocorrência de "graves efeitos colaterais" derivados do uso de remédios com a substância.


Conclusão: Apesar de trazer um alerta sobre uma substância que realmente foi proibida pela Anvisa, está notícia de que a fenilpropanolamina está presente hoje em medicamentos no Brasil não é verdadeira. Já que todos os laboratórios tiveram tempo suficiente para modificar suas fórmulas e retirar a fenilpropanolamina dos remédios comercializado. 

Washington Luiz, repórter do Momento Verdadeiro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PF deflagra 59ª fase da Operação Lava Jato.

Toffoli determina votação secreta na eleição do Senado.