Após debate com Moro, senadores apresentam substitutivo a PL.

Gilmar Mendes defende atualização da Lei de Abuso de Autoridade.

sábado, 31 de outubro de 2015

Putin envia avião de resgate para a Península do Sinai.


Internacional - Um avião russo com 224 pessoas a bordo caiu na Península do Sinai, no Egito, após descolar da localidade turística de Sharm El Sheikh, anunciou hoje o gabinete do primeiro-ministro egípcio, Ismail Sharif, em comunicado. O Presidente russo, Vladimir Putin mandou um avião de emergência para colaborar nos trabalhos de resgate na Península egípcia do Sinai, onde caiu um Airbus com 224 passageiros russos a bordo.

"Vladimir Putin encarregou o ministro para as Situações de Emergência, Vladimir Puchkov, o imediato envio de um avião para a zona do desastre", informou o Kremlin, em comunicado citado pela EFE.

Segundo diversas fontes, por baixo dos destroços do avião ouvem-se vozes, pelo que as equipas de salvamento egípcias não descartam que hajam sobreviventes.

Vladimir Putin, que expressou condolências às vítimas da catástrofe aérea, mandou também que o Governo crie de imediato uma comissão estatal, enquanto as autoridades judiciais abram uma investigação para esclarecer as causas do acidente.

Segundo fontes da embaixada russa no Egito, todos os passageiros a bordo são cidadãos russos, incluindo 17 crianças e sete membros da tripulação.

O primeiro-ministro russo, Dmitri Medvédev, pediu ao ministro dos Transportes, Maxim Sókolov, que viaje com urgência para o Egito.

A agência oficial RIA Novosti noticiou que os tripulantes do avião já tinham chamado a atenção durante várias semanas para problemas nos motores do aparelho a serviço há mais de 18 anos.

O avião caiu ao Sul da cidade egípcia de Al Arish, capital da província do Norte de Sinai, pouco depois de levantar voo de Sharm el Sheik, um dos destinos favoritos dos turistas russos.

O aparelho pertence à companhia russa MetroJet (Kogalimavia), fundada em 1993 e com base no aeroporto moscovita de Domodedovo, que realiza habitualmente voos 'charter' (fretados).

O avião, que efetuava o voo 9.268, foi antes operado pela companhia turca Onu Air e, mais tarde, pela libanesa Middle East Airlines.

O aparelho perdeu o contacto com os radares às 07:14 (hora russa), 23 minutos depois de levantar voo, quando sobrevoava a cidade de Larnaca, segundo um porta-voz da Rosaviatsia, a agência estatal da aviação russa.

Segundo a agência RIA Novosti, o avião perdeu altura de forma brusca pouco depois de levantar voo, e logo de seguida, o piloto terá pedido à torre de controle permissão para realizar uma aterragem de emergência no Cairo.

O avião tinha como destino o Aeroporto Pulkovo, em São Petersburgo, onde deveria aterrar pouco depois do meio-dia.

No aeroporto os familiares dos passageiros aguardam informações do Airbus acidentado.

Via Agência Lusa.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Não divulgamos links.Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do M.V News.

Recomendados para você.