Deu ruim! Rayanne Morais e Douglas Sampaio foram parar na DP.

Gilmar Mendes defende atualização da Lei de Abuso de Autoridade.

sábado, 14 de novembro de 2015

Petroleiros decidirão em assembleias se acatam indicação da FUP de acabar greve.


Brasil - Os 12 sindicatos filiados à Federação Única dos Petroleiros (FUP) decidem em assembleias se seguem a indicação do Conselho Deliberativo da entidade de aprovação da proposta apresentada pela Petrobras na quarta-feira (11), que prevê reajuste de 9,53% nas tabelas salariais e em outras parcelas remuneratórias, além da permanência dos demais benefícios e vantagens do atual acordo. A proposta inclui ainda a criação do grupo técnico, com representantes da Petrobras e da Federação Única dos Petroleiros (FUP) e dos sindicatos.

De acordo com a FUP,  a greve, considerada histórica forçou a Petrobras a aceitar as propostas, que ela e seus sindicatos tentaram por mais de 100 dias negociar com a direção da companhia. A entidade acrescentou que a decisão de indicar o fim da greve ocorreu após a petroleira formalizar documento com os pontos que foram discutidos.

Já o coordenador-geral do Sindicato dos Petroleiros do Norte-Fluminense (Sindipetro NF), Marcos Brêda, disse que só hoje (14) a categoria deve ter uma definição se vai acatar a indicação da FUP, mas é preciso esperar a decisão das outras entidades sindicais para ter uma posição dos petroleiros.
“A gente vai ver quantos sindicatos ficaram na greve para poder dar algum segmento, se for o caso, ou se a totalidade aprovou o indicativo. Isso vai ter que ser acompanhado par e passo, porque não há um sindicato único”, disse.

Brêda lembrou que os sindicatos são autônomos e individuais e, por isso, podem ter decisões diferentes. “A federação é uma forma de negociar de forma conjunta, mas os sindicatos são autônomos. Podem acontecer vários cenários nesta história”, explicou.

Para o sindicalista, são importantes os avanços obtidos na discussão da FUP, porque foram abertos os canais com a Petrobras para debater os rumos da companhia. “Isso foi conquistado com a comissão que terá o prazo de 60 dias e, outra coisa, foi não perder direitos, então, eu tenho o entendimento de que há elementos importantes para fazermos a aceitação da proposta na linha de manter a categoria mobilizada para poder, se houver necessidade, retomar a paralisação”, disse.

A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), no entanto, manifestou a disposição de manter a greve, pelo menos até a próxima quarta-feira (18), quando vão ocorrer as respostas das assembleias dos cinco sindicatos filiados à entidade se aceitaram a proposta da Petrobras. “A proposta tem uma rejeição muito grande da base. Está faltando aumento real, está faltando a questão dos dias parados e das punições”, afirmou o secretário-geral, Emanuel Jorge Cancella.

A Petrobras informou nessa sexa-feira que está mantida a proposta para o Acordo Coletivo de Trabalho 2015, apresentada na quarta-feira (11).

[ Via Agência Brasil ]

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Não divulgamos links.Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do M.V News.

Recomendados para você.