Deu ruim! Rayanne Morais e Douglas Sampaio foram parar na DP.

Gilmar Mendes defende atualização da Lei de Abuso de Autoridade.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Causa de acidente com avião da AirAsia, na indonésia, pode ter sido falha mecânica.


Internacional - Uma falha mecânica crônica em um sistema de leme avariado e a forma como os pilotos tentaram responder estão entre uma série de fatores que contribuíram para a queda de um avião da AirAsia no ano passado na Indonésia, que matou todos as 162 pessoas a bordo, disseram os investigadores nesta terça-feira (1º). A informação foi divulgada pelo portal de notícias da Globo, o G1.

O Airbus A320 caiu no mar de Java em 28 de dezembro, a menos de metade do caminho em um voo de duas horas iniciado na segunda maior cidade indonésia, Surabaya, com destino a Cingapura.

Problemas reiterados provocados pelo sistema de controle do leme fizeram com que os pilotos desativassem o piloto automático quando o avião atravessava uma área com tempo ruim, antes de perder o controle do avião, anunciou o Comitê Nacional de Segurança de Transportes.

De acordo com o relatório final, o piloto automático foi desconectado para que os sistemas de alerta fossem aplicados em consequência de uma fissura em uma soldadura do sistema que controla o leme.

O avião começou a perder estabilidade, após uma série de manobras dos pilotos para tentar reativar o sistema. "As ações posteriores da tripulação fizeram com que o avião ficasse incontrolável", o que provocou uma "prolongada" perda de altura do avião, que não pôde ser ajustado, explica o relatório.


O texto final apresentado nesta terça determina que o computador do controle de voo falhou quatro vezes antes que a aeronave entrasse "em estado de bloqueio prolongado que estava além da capacidade da tripulação para ser recuperado".


A investigação concluiu que o clima tempestuoso não está relacionado com as causas da tragédia.

O voo QZ8501 da AirAsia decolou de Surabaia, na ilha de Java, na madrugada do dia 28 de dezembro de 2014 com 162 pessoas a bordo e deveria ter aterrissado em Cingapura algumas horas mais tarde.

Ainda segundo os investigadores, há indícios de que um disjuntor tenha sido puxado antes de o avião cair – entretanto, não foi encontrada nenhuma prova concreta de que isso tenha ocorrido.

Na aeronave viajavam três sul-coreanos, um britânico, um francês, um malaio, um cingapuriano e 155 indonésios, entre passageiros e uma tripulação de sete pessoas.

O avião voava a uma altura estável e dentro dos limites de peso e equilíbrio quando o piloto, antes de perder comunicação, solicitou permissão à torre de controle para subir de 32 mil pés a 38 mil para evitar uma tempestade que tinha encontrado em seu caminho.

Naquele momento, a aeronave sobrevoava o mar ao sul da ilha de Bornéu.

A torre de controle concedeu a permissão, mas o avião virou para a esquerda, subiu até 37.400 pés em 30 segundos e depois desceu a 32 mil pés em outros 30 segundos, antes de começar a queda mortal em direção ao mar.

Fonte: G1

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Não divulgamos links.Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do M.V News.

Recomendados para você.