Sem contar com Clarissa Garotinho, maioria da bancada do Rio votou pelo impeachment.

Votação da admissibilidade do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. A bancada do Rio de Janeiro, terceira maior bancada da Câmara, ficou dividida. Com 46 deputados, 34 votaram pelo impedimento da presidente e 11 contra. A deputada Clarissa Garotinho (PR), entrou em licença-maternidade, e não compareceu ao Plenário. 

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, pediu  — misericórdia  — divina para o Brasil. 

O deputado Jair Bolsonaro, foi outro que votou a favor do impeachment. Ele elogiou Cunha e o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra. 

— Em memória do coronel Bilhante Ustra, voto sim, disse Bolsonaro.

Entre os deputados da bancada do Rio de Janeiro que votaram contra, Jean Wyllys e Clauber Braga, do PSOL. 

— Eduardo Cunha você é um gangster. O que dá sustentação ao senhor nessa cadeira cheira a enxofre, disse Clauber. 

Jean Wyllys criticou os parlamentares:

 — Estou constrangido de participar dessa farsa, conduzida por um ladrão e apoiada por torturadores. Durmam com essa, canalhas, concluiu.

Washington Luiz, repórter do Momento Verdadeiro.

Comentários

Motorista usa manequim para enganar polícia e acaba no tribunal.