Arena Condá recebe os heróis da Chapecoense. #ForçaChape

Gilmar Mendes defende atualização da Lei de Abuso de Autoridade.

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

A medicina bioeletrônica e o Google.


Você já ouviu falar em medicina bioeletrônica? Tudo indica que está é a nova aposta do Google. Mas vamos por parte, já que primeiro precisamos saber mais sobre essa tal medicina bioeletrônica. Segundo informações divulgadas pela coluna "Ciência e Saúde", do portal de notícias "UOL", a medicina bioeletrônica utiliza dispositivos implantáveis miniaturizados para alterar e controlar sinais elétricos no corpo humano. 

Como funciona. De acordo com a reportagem, monitorando estes sinais elétricos é possível, por exemplo, determinar a tensão das vias respiratórias e com isso pesquisadores poderiam ajudar as pessoas com asma. Os pequenos dispositivos, que se agrupam em torno de nervos para controlar os sinais elétricos, também podem ser usados para combater doenças como diabetes e artrite. 

Agora você pode estar pensando onde o Google entra neste processo. Bom! Agora a "Gigante da Internet" também estaria interessada na área da Saúde. Exemplo disso: com o "Google Flu Trends", a empresa pode usar as enormes quantidades de dados recolhidos a partir de pesquisas na internet para prever surtos de gripe. 

Também tem o "Google Genomics". Com ele, a empresa pode armazenar e colher milhões de genomas para dar continuidade à pesquisa em saúde monitorando o condicionamento físico geral com aplicativos de saúde. Recentemente, a "Google DeepMind", uma empresa de inteligência artificial, anunciou seu primeiro projeto de pesquisa médica em conjunto com o sistema de saúde público do Reino Unido.

A previsão é que os primeiros dispositivos eletrônicos (também chamados de medicamentos) sejam apresentado as autoridades em 2023. A reportagem completa sobre medicina bioeletrônica pode ser lida neste link.

Edição: Washington Luiz.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Não divulgamos links.Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do M.V News.

Recomendados para você.