Papa Francisco completa 81 anos.

Pombos são triturados com cevada da Ambev? Não, é boato.

Uma parte considerável da população brasileira ficou muito preocupada com as informações de que empresas responsáveis por marcas tradicionais no mercado como Sadia, Perdigão e Seara, maquiaram carnes estragadas para vender no país e no exterior. O caso se tornou público devido a Operação Carne Fraca da Polícia Federal. Para obter mais informações sobre a operação, assista ao vídeo

Agora vamos tratar de outro assunto que também envolve o consumo de um produto → a cerveja. Circula pela internet, redes sociais e também pelo WhatsApp, um vídeo que mostra pombas sendo sugadas por uma máquina, que seria de uma empresa que produz cerveja. As imagens teriam sido vazadas por funcionários da Ambev. Porque diretores da empresa teriam ignorado o problema, segundo informações que circulam pela web. Será? A resposta é Não.

Essa história de que pombas estão sendo moídas junto com a cevada usada pela Ambev na produção de cerveja é falsa. Inclusive, segundo informações do site E-Farsas, o vídeo que tem deixado muita gente preocupada não foi feito em nenhuma fábrica no Brasil. As imagens foram gravadas na Rússia em outubro do ano passado. O vídeo viralizou na internet, sendo reproduzido com histórias diferentes. No caso, alguém inventou que o caso ocorreu na Ambev e saiu espalhando o boato.

Conclusão: Essa história de que a Ambev está moendo pombos junto com a cevada é falsa.

Sobre a Ambev

De acordo com informações divulgadas pelo site da Ambev, a empresa nasceu da união entre as centenárias Cervejaria Brahma e Companhia Antarctica. Hoje conta com cerca de mais de duzentas marcas de bebidas. Além da Budweiser, temos a Stella Artois e Beck’s, ao lado de Leffe, Hoegaarden, Bud Light, Skol, Brahma, Antarctica, Quilmes, Michelob Ultra, Harbin, Sedrin, Klinskoye, Sibirskaya Korona, Chernigivske, Hasseröder e Jupiler. 

Washington Luiz, repórter do Momento Verdadeiro.

Comentários

Motorista usa manequim para enganar polícia e acaba no tribunal.