Conto de fadas, não! Realidade.

[BOATO] Ratinho denunciou filme "Corpus Christi", do deputado Jean Wyllys.

Assunto: Boatos que circulam pela Internet 

Ratinho denunciou filme de Corpus Christi do deputado Jean Wyllys.
Olá pessoal. Está circulando pela Internet e também pelo WhatsApp um texto dando conta que o deputado federal Jean Wyllys estaria produzindo um filme, intitulado Corpus Christi, para apresentar Jesus e seus discípulos como gays. Tem mais, o projeto seria patrocinado com dinheiro público. A denúncia teria sido feita pelo apresentador Ratinho, do SBT. 

Confira abaixo um trecho da mensagem atribuída ao apresentador Ratinho:

 — Aqui quem fala é Carlos Massa, o Ratinho...O filme Corpus Christi do diretor ... chamado deputado Jean Wyllys...está para ser exibido nos cinemas. Com patrocínio da Lei Renault...Este filme mostra Jesus e seus discípulos como gays... É uma paródia repugnante de Jesus...Mas podemos fazer diferença a diferença. Se você  encaminhar essa mensagem aos seus contatos, reduziremos o número de pessoas para assistir esse filme e as salas de cinemas vão retirar de cartaz...

Será que é verdade? A resposta é NÃO! Primeiro fato que comprova que está informação é FALSA é que o apresentador Ratinho afirmou que não é o autor desta mensagem e pediu aos seus seguidores que ignorem a informação que foi publicada no Facebook em uma página fake usando o nome do apresentador do SBT. "Reforçando e pedindo a todos os meus seguidores que ignorem uma página fake da internet que faz referencia a um filme brasileiro. Estão usando o meu nome de má fé. Obrigado".

Também chama a atenção o autor ter citado uma lei que não existe. Renault é uma fabricante francesa de veículos. A Lei de Incentivo a Cultura é conhecida como Lei Rouanet

Além disso, o deputado Jean Wyllys não é diretor de nenhum filme "Corpus Christi", que mostra Jesus e seus discípulos como gays. 

Sendo assim, podemos concluir que está história de que Ratinho denunciou o filme Corpus Christi, de Jean Wyllys é FALSA. 

Comentários

Veja também

Preso processa policiais após ter uma ereção de 4 dias.